Sábado, 18 de Maio de 2024 Fazer o Login

Sem esforços, Fluminense é tricampeão do tapetão

qua, 18 de dezembro de 2013 00:15

Entenda como a medida retrata a diferença entre países

Abertura Ficha Técnica

Coluna PJ 1Um turista britânico desembarca no Brasil e se hospeda por dois meses em uma residência no subúrbio de São Paulo. A família que abrigou o jovem, assim como ele, é fanática por futebol, sobretudo, pela Portuguesa de Desportos. Desde então, o gringo passa a acompanhar os jogos do clube, que semanas depois comemoraria a permanência do terceiro ano consecutivo na elite dos gramados nacionais. Certo dia, ele chega em casa e se depara com um senhor aos prantos. Diante disso, questiona a situação, causada pelo rebaixamento da equipe após o desfecho da temporada. Frequentador assíduo dos estádios há mais de 60 anos, o morador apenas refuta: “Meu caro, aqui não se ganha dentro de campo”. E o imigrante continua sem entender.

A história que inaugura esta edição é fictícia, porém ilustra a diferença na realidade dos referidos países. No último fim de semana, o meia Paulinho foi expulso durante a partida do Tottenham, na Inglaterra. Por ter levado o cartão vermelho direto, o brasileiro terá que cumprir três jogos de suspensão, conforme prevê o regulamento. Imediatamente, a página da Federação Inglesa consta a medida na internet para que qualquer pessoa possa verificar. Sem tribunal, tampouco margem de erros, a determinação é simples e objetiva.

No dia seguinte, no país da próxima Copa, as chuteiras e uniformes dão lugar a ternos e sapatos, o gramado se torna plenário, e o Brasileirão, a galinha dos ovos de ouro da CBF, é decidido no tribunal. A Portuguesa, que roubou um pão, foi condenada a prisão perpétua.

Torcedores da Lusa lamentam ‘derrota’ no tribunal. Foto: Divulgação

Torcedores da Lusa lamentam ‘derrota’ no tribunal. Foto: Divulgação

 

Por ter escalado um jogador irregular na partida diante do Grêmio, na última rodada do Brasileiro, a Lusa foi punida com quatro pontos, sendo rebaixada para a segunda divisão. Com a medida, o Fluminense ganha a posição e assume novamente a vaga na elite do futebol nacional. Assim como em 1996 e 2000, o advogado do tricolor carioca é mais competente que o centroavante.

Irregularidades à parte, Paulo Valed Perry, que presidiu a sessão, está há uma década no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). No entanto, o artigo 55, do 2º parágrafo da Lei Pelé, permite o prazo máximo de oito anos para membros de Tribunais de Justiça Desportiva. Em tempos de “padrão Fifa”, por que não utilizar a medida da entidade máxima do futebol mundial, que prevê o cumprimento de suspensões com a perda de pontos na temporada seguinte em eventuais situações. Ou será que nem em casos extremos cabe bom senso?

DESTINO COPA DO MUNDO

Saiba onde as seleções ficarão hospedadas durante o torneio

Brasil: Teresópolis – RJ
Alemanha: Santa Cruz de Cabrália – BA;
Argentina: Belo Horizonte (Cidade do Galo);
Austrália: Vitória – ES (Estádio Engenheiro Araripe);
Bélgica: Mogi das Cruzes – SP
Bósnia-Herzegovina: Guarujá – SP;
Chile: Belo Horizonte (Toca da Raposa II);
Costa Rica: Santos – SP (Vila Belmiro);
Croácia: Praia do Forte – BA
Equador: Vitória – ES;
Espanha: Curitiba – PR (CT do Caju);
França: Ribeirão Preto – SP
Irã: Guarulhos – SP;
Itália: Mangaratiba – RJ;
México: Santos – SP (CT Rei Pelé);
Suíça: Porto Seguro – BA
Uruguai: Sete Lagoas – MG
* Inglaterra e Holanda seguem em negociações por áreas no Rio de Janeiro, São Paulo ou Bahia, enquanto os Estados Unidos se divide entre os Centros de Treinamento do São Paulo e do Náutico, em Recife (PE). De acordo com o jornal “O Estado de S. Paulo”, Portugal está próximo de fechar com a cidade de Campinas para treinar no estádio Moisés Lucarelli. Outras delegações ainda não opinaram. O anúncio oficial ocorre no dia 30 de janeiro.

RETRATO DA SEMANA

Aos 17 anos, Ronaldo embarcava para a Copa do Mundo de 1994 nos Estados Unidos. Foto: Divulgação

Aos 17 anos, Ronaldo embarcava para a Copa do Mundo de 1994 nos Estados Unidos. Foto: Divulgação

 

VARANDÃO DA SAUDADE

Na última edição da série em 2013, Dadá Maravilha. Único artilheiro de três edições do Brasileiro, terceiro maior goleador do país e autor de frases como: “Não existe gol feio, feio é não fazer gol”.

“Apenas três coisas param no ar: o beija-flor, o helicóptero e Dadá Maravilha”.  Foto: Divulgação

“Apenas três coisas param no ar: o beija-flor, o helicóptero e Dadá Maravilha”.
Foto: Divulgação

 

Nome: Dario José dos Santos
*: 4/3/1946, no Rio de Janeiro

Clubes: Campo Grande (1967 – 1968); Atlético Mineiro (1968 – 1972, 1974, 1978 – 1979, 1983); Flamengo (1973 – 1974); Sport (1974 – 1975); Internacional (1976 – 1977); Ponte Preta (1977 – 1978); Paysandu (1979); Náutico (1980); Santa Cruz (1981); Bahia (1981, 1983); Coritiba (1981 – 1982); Nacional (1984); XV de Piracicaba (1984 – 1985); Douradense (1985); Comercial de Registro (1986)

Seleção: 1970 – 1976 (6 jogos)

Principais conquistas: tricampeão brasileiro e octacampeão estadual (MG, RJ, PE, RS, BA, GO, AM)

* A série “Varandão da Saudade” é baseada no livro “Os 100 melhores jogadores brasileiros de todos os tempos”, obra dos jornalistas André Kfouri e Paulo Vinícius Coelho

Acesse: fichatecnicafc.blogspot.com.br

1 Comentário

  1. Antônio Marcos disse:

    Tendenciosa a “reportagem” sobre o rebaixamento da Lusa. Vários fatores poderiam ser abordados, tais como o fato de todos os demais clubes terem obedecido o CBJD durante as 38 rodadas. Claro, exceto também o Flamengo, para o qual não se dedicou uma linha no texto. Na sexta-feira, 6, já estava no site do STJD o resultado dos julgamentos. Até o jornal O Lance divulgou nessa mesma data a suspensão do lateral André Santos do Flamengo. Além disso, a simples notificação do clube para o julgamento já pressupõe a ciência do resultado. Não para por aí. Na Europa, citada como exemplo, vários países adotam a perda de pontos em moldes parecidos com os do Brasil. O CBJD é bem claro. Não existe possibilidade de se reduzir a pena de perda de pontos. Não há faculdade. O único momento em que se pode ponderar é na aplicação da pena de multa. O único ponto que precisa ser corrigido é a realização desses julgamentos logo após a realização das partidas. Logo, não se pode falar em virada de mesa e tapetão. Vale o resultado do campo, desde que obedecidos regulamentos esportivos. Caso contrário, ficaria muito fácil escalar jogadores suspensos, sem contrato, etc.

Deixe seu comentário: