Sexta-feira, 17 de Maio de 2024 Fazer o Login

Demanda em atendimento médico congestiona Pronto Socorro Municipal

sáb, 11 de janeiro de 2014 00:33
Secretária Lucélia Rodrigues afirma que optar pelos postos de saúde nos bairros pode amenizar o problema. Foto: Arquivo

Secretária Lucélia Rodrigues afirma que optar pelos postos de saúde nos bairros pode amenizar o problema. Foto: Arquivo

SAMARA ARRUDA – É frequente o número de reclamações quanto ao atendimento na saúde pública. O município conta atualmente com 17 Unidades Básicas de Saúde (UBS), uma Policlínica e um Pronto Socorro, que funciona de maneira provisória no bairro Miranda, mas que segundo a população, não é o suficiente para atender a demanda.

Segundo o balanço da secretaria de Saúde, entre os dias 2 a 4 de janeiro, passaram pelo Pronto Socorro 912 pessoas. Nos prontuários, situações como cefaleia, gripe e medição de pressão. Conforme explicou a secretária Lucélia Rodrigues, o local funciona através do Protocolo Manchester que visa prestar atendimento por meio do grau de urgência e de acordo com a condição do paciente assim que ele chega à unidade.

“A avaliação prévia garante o cuidado individualizado, o que deveria descongestionar filas e possibilitar que a família da vítima tenha noção do tempo de espera. Mas esta não é a realidade de Araguari, pois a população se acostumou a procurar o Pronto Atendimento para qualquer tipo de situação,” contou.

O Pronto Socorro funciona de maneira provisória no bairro Miranda. Foto: Arquivo

O Pronto Socorro funciona de maneira provisória no bairro Miranda. Foto: Arquivo

Os dados mostram ainda que 60% dos atendimentos feitos no PSM podem ser realizados nas unidades de saúde. Segundo ela, todas as UBS’s estão aptas a receber pacientes, pois foram reformadas, ampliadas e diariamente contam com profissionais qualificados justamente para prestar esse serviço. Essas unidades atendem a casos rápidos como pressão alta, febre, fraturas, cortes e infartos.

“A população precisa entender que o Pronto-Socorro prioriza casos de urgência e emergência. O uso adequado do serviço por parte da população ajuda a amenizar a demora no atendimento e faz com que a unidade ofereça um serviço eficiente, pois casos mais graves demandam mais atenção da equipe,” explicou.

Indagada sobre a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) que está em processo de construção na praça da Constituição, Lucélia Rodrigues afirmou que o investimento do governo federal trará melhores condições de trabalho aos profissionais da secretaria, bem como ao atendimento à população. “Em 2014 estamos redirecionando o atendimento na atenção primária. Fizemos um diagnóstico para mudanças e efetivar programas de prevenção,” finalizou.

1 Comentário

  1. Ednamar Vieira da Silva disse:

    Engraçado quando o médico entra de férias dos UBSs não tem substituto e você procura a secretaria de saúde nem resposta eles te dão como aconteceu comigo, a assistente social ficou de entrar em contato comigo para dar uma resposta já faz uma semana e nada, infelizmente essa é a nossa saúde brasileira e ainda pensam que estão nos fazendo favor!

Deixe seu comentário: