Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2024 Fazer o Login

Coluna: Neuropsi (06/01)

qui, 6 de janeiro de 2022 09:55

1-Por que algumas crianças têm insônia e dificuldade para dormir?

 

Em grande parte dos casos, o problema é comportamental. Depois dos seis meses de idade, quando o bebê já tem autonomia para dormir sozinho, deve ser estimulado a isso. Se não, fica cada vez mais dependente do colo, desenhos ou da presença dos pais a cada acordada durante a noite. Com o tempo, os despertares aumentam, assim como o tempo e o trabalho para fazê-lo fechar os olhos. Alguns distúrbios específicos do ciclo circadiano, o nosso relógio biológico, e transtornos neuropsiquiátricos também atrasam ou diminuem o sono na infância.

 

2- O que acontece com o corpo quando a criança dorme mal?

 

O descanso de má qualidade impacta o desenvolvimento cognitivo e físico da criança. É durante o sono que a produção do hormônio do crescimento atinge seu pico e que o cérebro fixa o aprendizado do dia. Concentração, memória, intelecto e desempenho escolar dependem de noites bem dormidas. Surpreendentemente, um dos sinais da falta de sono de qualidade é a criança ficar mais agitada do que o esperado durante o dia.

Uma criança que dorme bem é uma criança descansada, é uma criança que come bem, que brinca bem, que aproveita o tempo acordada de uma forma saudável e acaba aproveitando todos os estímulos que o ambiente oferece.

 

3. O que é melatonina?

 

O hormônio responsável por avisar o corpo se está de noite ou de dia e nos fazer adormecer. Ele é secretado pela glândula pineal, no cérebro, e sua produção começa a aumentar quando escurece. O pico da fabricação ocorre durante a madrugada, por volta das 3 da manhã. A melatonina de origem animal ou sintética é comercializada sem necessidade de receita nos Estados Unidos, mas seu uso indiscriminado é contraindicado pelos médicos.

4-A pandemia aumentou a insônia nas crianças?

 

Sim. O que as crianças mais têm sentido falta é da socialização. Não fazemos a mínima ideia de como essa geração vai ser afetada.

Um agravante é o uso exagerado dos eletrônicos. O contato com a tela pode alterar a produção de melatonina, prejudicando o sono.

O celular é o pior porque é pequeno e fica muito próximo. Mas a alteração do sono independe do aparelho.

Recomenda-se que, quando liberados pelos pais, os equipamentos sejam evitados pelo menos duas horas antes de dormir.

 

 

5-Quando a criança deve tomar melatonina?

 

Antes de tudo, quando há recomendação médica para isso. Geralmente, crianças cegas, com distúrbios neurológicos e transtornos como autismo e o de déficit de atenção e hiperatividade produzem menos melatonina e têm mais dificuldade para dormir. Nesses casos, o hormônio ajuda e muito a induzir e prolongar o descanso.  Nessas situações, que não são frequentes, a substância faz toda a diferença na vida das famílias.

Crianças saudáveis e que não apresentam dificuldade para dormir não devem usar. Muitas vezes, a questão é apenas comportamental ou ambiental e não requer medicamento. Antes de recorrer à melatonina, é indicado observar a rotina para corrigir eventuais hábitos que possam estar dificultando o sono da criança, sendo que o uso de tal substância pode mascarar a causa real das noites mal dormidas.

 

6-Como estimular a produção natural de melatonina?

 

Se a criança não tem distúrbios do ciclo de sono ou outros problemas que atrapalham o descanso como autismo e déficit de hiperatividade, melhor mesmo é colocar a fábrica natural da substância para trabalhar. O principal segredo para isso é banir fontes de luz por no mínimo uma hora antes de dormir, tais como o uso de celulares, tablets, TVs e computadores. A claridade emitida por eles confunde o cérebro e derruba a produção de melatonina.

 

7-Como melhorar a qualidade do sono do meu filho?

 

Além da luz, brincadeiras muito agitadas e movimentações intensas sobem a temperatura do corpo, que precisa estar alguns graus mais frio para cair no sono. Recomenda-se que os pais estabeleçam um ritual e o sigam à risca. Todos os dias no mesmo horário, por volta das 20h, o ritmo começa a diminuir, o filho escova os dentes, os pais podem cantar uma música ou ler uma história – só uma! – E depois é só apagar as luzes e desejar boa noite. O ideal é que antes das 21h a criança já esteja deitada, porque tendemos a ficar mais alertas depois disso. Mas se o filho já está em um padrão considerado ruim, psicólogos e pediatras podem ajudar a criar um treinamento para que o sono volte a ser regular e reparador.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: