Quinta-feira, 11 de Julho de 2024 Fazer o Login

Tribunal de Júri realizado em Uberlândia absolve Eurípedes Martins “Oripão”

qua, 10 de julho de 2024 08:38

Da Redação

Equipe do advogado Paulo Braganti durante o julgamento

A terça-feira, 9 de julho, foi marcada por mais um Júri Popular, ao qual o araguarino Eurípedes Martins foi submetido. Oripão como é conhecido, era acusado de ter cometido o feminicídio contra Amanda Aparecida de Sousa. O crime ocorreu no início da noite do dia 30 de março de 2005.

 

O ministério Público pediu o desaforramento dos quatro processos, e após análises dos desembargadores, o tribunal remeteu os processos para a cidade de Uberlândia. Esse foi o primeiro dos quatro que Euripedes Martins enfrenta na comarca vizinha.

 

Acompanhado da bancada de advogados composta pelo Dr. Paulo Braganti e pelo Dr. Marco Antônio Farias, o julgamento durou

praticamente toda manhã. Antes da sessão, Braganti havia falado sobre sua expectativa do segundo Júri, e dizia acreditar que Oripão seria absolvido, pela falta de provas nos autos do processo.

 

Ao final dos trabalhos da defesa e da acusação, a Juíza Danielle Louise Rutkowski Dias, que presidiu a sessão, proferiu a sentença após a decisão dos membros do Júri. “Submetido a julgamento pelo Tribunal do Júri nesta data, o Conselho de Sentença afirmou, por maioria, a materialidade do delito, e em seguida acatou a tese sustentada em plenário de ausência de autoria e absolveu o acusado. Julgo improcedente a denúncia e, via de consequência, absolvo o réu Eurípedes Martins, qualificado, nas imputações que foram volvidas, fazendo-o com fulcro no disposto do artigo 386, V, do Código de Processo Penal”, anunciou.

 

Oripão havia sido absolvido no primeiro caso em que era acusado pela morte de Lara Rodrigues Caetano Pereira, e agora foi absolvido pela morte de Amanda Aparecida de Souza. Também foram assassinadas na época: Vanda de Lima Nazareth (57), Regiane Maria Fonseca (27), Edma Maria Guedes Batista (41), Iraci Maria da Silva (44), Claudiana de Almeida (33) e Michele Monteiro da Silva (24 anos). Eurípedes Martins foi denunciado por alguns destes casos.

Os corpos foram encontrados em fevereiro, junho, agosto, setembro de 2005 e janeiro de 2006. As vítimas residiam nos bairros Maria Eugênia, Amorim, Ouro Verde, Flamboyants e Santa Helena. A maioria dos corpos foi encontrada semanas após os crimes, na região do bairro de Fátima.

 

 

O advogado de defesa, informou que Eurípedes Martins está recolhido na “Casa Davi”, e que sua saúde exige cuidados, mas segue mantendo a vida simples, porém, necessitando de ajuda.

1 Comentário

  1. Eliane disse:

    ALGUÉM LEVOU PARA QUE OUTRAS PESSOAS PUDESSEM FAZER O SERVIÇO, MAS QUEM? ENTÃO PORQUE CONFESSOU E LEVOU NOS LUGARES EXATOS, TEVE ALGUMA DIFICULDADE NA RECONSTITUIÇÃO. EU NEM SOB TORTURA CONFESSO ALGO QUE EU DESCONHEÇO, DIZ QUE FORAM NA CASA DELE E OBRIGARAM ELE A ASSUMIR A CULPA, EU COLOCAVA A BOCA NO TROMBONE ERA NA HORA, PORQUE SENÃO A PRIMEIRA IMPRESSÃO É A QUE FICA. ENTÃO PRECISAMOS SABER QUEM EXECUTOU EU ME LEMBRO QUE NA ÉPOCA TINHA UNS CARROS ESTRANHOS COM UMAS PESSOAS ESTRANHAS ATACANDO AQUI NA CIDADE, TINHA UM PÁLIO AZULÃO.

Deixe seu comentário: