Quinta-feira, 30 de Novembro de 2023 Fazer o Login

Radar – Correria

qua, 8 de janeiro de 2014 00:00

Abertura Radar

CORRERIA
Começou 2014, e por sinal, os dias estão voando; logo teremos Copa do Mundo e eleições, o que torna o ano quase facultativo e um verdadeiro desafio para o prefeito Raul Belém (PP) que ao contrário de 2013, irá administrar o seu próprio orçamento e desenvolver dentro dos prazos determinados pela justiça em ano de eleição, todos os projetos a serem iniciados ou em andamento no município. Aliás, é preciso reconhecer o bom desempenho da secretaria de Desenvolvimento e Planejamento que vem conseguindo milagres a ponto de ter protocolado em tempo recorde o projeto de empréstimo de 40 milhões de reais aprovado pela Câmara Municipal no dia 30 de dezembro.

COMUM
Após o primeiro ano de qualquer administração, deve-se avaliar o desempenho de cada setor da administração e se for preciso, promover as chamadas reformas políticas, visando dar uma injeção na máquina. É preciso reconhecer que existem pontos positivos e outros que infelizmente deixaram a desejar, sendo necessário proceder a mudanças mesmo com as poucas opções no cenário. Esse tem sido o grande carma dos prefeitos dos últimos tempos, pois o salário é baixo, e a responsabilidade é alta. Às vezes, o prefeito dá o direito de o secretário errar, mas depois, como sempre, o prefeito paga a conta.

CONTRAPÉ
É bom que sejam levadas em consideração as perdas de peças inesperadas do governo Raul Belém no decorrer do primeiro ano da sua administração, como os secretários de Agricultura Jonalvo Absair Lopes; de Serviços Urbanos Uguney Carrijo; de Saúde Alfredo Paroneto e o Professor Gonzaga de Administração, o que gerou prejuízos no andamento dos trabalhos.

REVELAÇÃO
Cinco anos depois de ter deixado a prefeitura, Marcos Alvim (PSC) revelou à coluna certa vez que deveria ter agido diferente, pois na condição de chefe do Executivo, ele convive com problemas gerados às vezes por falta de informação dos seus comandados.

MENINA DOS OLHOS
Por incrível que pareça, nem mesmo o vultoso investimento em torno de 40 milhões de reais  para construção da ETE – Estação de Tratamento de Esgoto, prevista para tratar a descarga sanitária despejada no córrego Brejo Alegre, consegue tirar o brilho dos olhos do prefeito Raul Belém quando ele se refere ao projeto de construção do viaduto de acesso ao bairro São Sebastião, que poderá girar na casa de 7 milhões de reais.

ESPERADO
Vou confirmar, mas a informação é que o proprietário da área então em vista para receber o frigorífico de peixes no município desistiu de fazer negócio com a prefeitura. O município recuou pelo fato de a área ter sido avaliada em torno de R$ 2,5 milhões, e a pedida do proprietário seria de R$ 5 milhões.

CAOS
A suspensão temporária de quase 10% do atendimento do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia vem causando estragos na saúde pública das cidades da região que necessitam desse atendimento. A paralisação que se arrasta desde o início de dezembro cobra repasses do governo federal para o Hospital onde falta até mesmo material básico para atender pacientes.

FIM DOS TEMPOS
Ainda para piorar a situação, desde o início de dezembro, período de festas de final de ano, houve uma redução generalizada no número de médicos no atendimento público e particular, o que acarretou em atendimento lento, e falta de leitos nos hospitais da rede do Sistema Único de Saúde – SUS, a ponto de pessoas aguardarem vagas para internação nos corredores do Pronto Socorro local. E quem procurou um atendimento particular, acabou esbarrando na falta de médicos. Resumindo, cheguei à conclusão que é preciso tomar muito cuidado nos meses de dezembro e janeiro para não precisar de atendimento médico. Consta que a secretária de Saúde Lucélia Aparecida Vieira teve que enviar material para a UFU a fim de atender uma criança de Araguari.
==================================

“Eu precisava conhecer como era, e me serviu como aprendizado!”.
Uguney Carrijo, sobre sua passagem como secretário de Serviços Urbanos.

“Paguei 17 dos 40 milhões de reais de dívidas que herdei. Esse dinheiro poderia ter sido investido em obras”.
Do prefeito Raul Belém  na primeira semana de 2014.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: