Terça-feira, 16 de Abril de 2024 Fazer o Login

Professoras e diretoras se encarregam da limpeza em escolas municipais

sex, 21 de fevereiro de 2014 00:01
Falta de ajudantes de serviços gerais nas escolas: situação foi apresentada aos vereadores que integram a Comissão de Educação. Foto: Gazeta do Triângulo

Falta de ajudantes de serviços gerais nas escolas: situação foi apresentada aos vereadores que integram a Comissão de Educação. Foto: Gazeta do Triângulo

TALITA GONÇALVES – Localizado no bairro Jóquei Clube, o Centro Educacional Municipal Maria de Fátima Oliveira atende 577 alunos com idades entre 5 e 10 anos, em dois turnos. Duas ajudantes de serviços gerais trabalham no turno matutino, das 7 às 13h. No turno vespertino, não há funcionários.

Para garantir que os banheiros, salas de aula e principalmente a cantina após o lanche fiquem limpos, diretoras, supervisoras e professoras tem se encarregado do trabalho. Sem aumento salarial. “Temos nossas atribuições. Se fosse apenas um dia, mas isso tem sido frequente,” disse Angelita Rodrigues da Cunha, especialista educacional (supervisora) da escola.

Ela esteve com a secretária de Educação, Iara Faria, e também com a Comissão de Educação da Câmara. Segundo Angelita Rodrigues, na ocasião a secretária teria enviado ofícios para outras secretarias e departamentos pedindo apoio.

A situação se repete também em outros CEMs e CMEIs do município. Na última sessão da Câmara, dia 18, a vereadora Eunice Mendes (PMDB) solicitou informações sobre como o município pretende resolver o caso, uma vez que o limite prudencial de 54% da lei de responsabilidade fiscal foi atingido com a folha de pagamento. Ou seja, isso dificultaria a contração de funcionários. “Mesmo que serviços gerais seja um trabalho digno, essas profissionais são contratadas para exercer outra função. Esse desvio acaba prejudicando o processo de ensino e aprendizagem,” destacou ela.

Como medida de caráter emergencial, Iara Faria disse ter enviado à secretaria de Administração um pedido de remanejamento de mão de obra para a Educação.

Ela negou a existência de desvio de função. “Elas estão no mesmo cargo, porém lotadas em outra secretaria,” afirmou.

Funcionárias que se aposentam, estão em condição de ajustamento (desempenhar uma tarefa leve por recomendação médica) ou afastadas, além da diminuição de horas extras são situações relacionadas à falta de mão de obra nas escolas, segundo Iara Faria.

Conforme informação da secretária, há muito tempo não é feito concurso público nessa área. Não existe previsão de quando a prefeitura pretende realizar um novo concurso.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: