Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2024 Fazer o Login

Polícia Militar Regional tem novo comandante

qui, 13 de fevereiro de 2014 15:28
“O que faz a diferença é pensar estrategicamente”,  defende Marques. Foto: Gazeta do Triângulo

“O que faz a diferença é pensar estrategicamente”,
defende Marques. Foto: Gazeta do Triângulo

DA REDAÇÃO – Mineiro, natural de Bom Despacho, há 27 anos na Polícia Militar, o tenente-coronel Volney Halan Marques foi o escolhido para assumir o comando geral da 9ª Região da Polícia Militar. Atualmente, Marques conduz o 53º BPM de Araguari.

Isso significa dizer que estará sob sua responsabilidade a segurança pública de 18 municípios, numa área de quase 30 mil km²: Uberlândia, Araguari, Indianópolis, Tupaciguara, Araporã, Ituiutaba, Santa Vitória, Monte Alegre de Minas, Prata, Capinópolis, Gurinhatã, Ipiaçu, Canápolis, Centralina, Cachoeira Dourada, Estrela do Sul, Cascalho Rico e Grupiara, além dos distritos de Patrimônio do Rio do Peixe, Amanhece, Chaveslândia, Perdilândia, Martinésia, Cruzeiro dos Peixotos e Tapuirama. A lista é extensa, o trabalho também. No entanto, o militar aparenta tranquilidade. Desempenhou funções de comando ao longo de sua carreira. Antes de ser transferido para Araguari, comandou a 7ª Companhia Independente de Meio Ambiente e Trânsito também em Bom Despacho, atuou no Batalhão de Polícia de Choque, nos 7º e 23º Batalhões de Bom Despacho e Divinópolis, respectivamente. Chefiou o Serviço de Inteligência do 7º BPM de Bom Despacho e também na sede da 7ª Região, localizada na mesma cidade.

GT: O que o senhor sentiu ao receber essa notícia? Como será, daqui para frente, ao assumir uma função de tamanha responsabilidade como essa?

Uma satisfação enorme. Estou muito feliz e honrado. Foi um prazer ter atuado no Batalhão em Araguari, uma cidade maravilhosa. Agora vamos ter que trabalhar ainda mais. Vamos empregar todas as técnicas que utilizamos, até então, em toda a região. Não vai ser fácil, mas temos uma doutrina de comando, ações previamente planejadas que agora iremos expandir a um nível maior.

GT: Quando será a cerimônia da passagem de comando?
Precisamos escolher a data, isso deve ser decido junto com o comandante geral do estado. No prazo de quinze dias teremos essas definições.

Em recente entrevista, o senhor disse à reportagem que esse era “mais um sonho realizado”. Ser comandante regional era algo que o senhor almejava?
Minha caminhada foi longa. Estou na PM há 27 anos e desde os primórdios, quando entrei como oficial de carreira, tudo o que fiz foi pensando em alcançar um posto hierárquico. Esse trabalho não é de hoje. E o motivo da minha alegria é justamente esse.

GT: Quais os principais desafios da PM na sociedade atual?
A PM é referência como prestadora de serviço em segurança pública. Então nosso desafio é continuar defendendo a comunidade, deixando a criminalidade em seu lugar, em níveis aceitáveis. É claro que a PM está presente de forma real, efetiva, mas existem questões que são fundamentais para nosso trabalho. Tenho certeza que daqui para frente nossas metas e as angústias da sociedade serão mais fáceis de resolver.

GT: Como um bom policial deve ser?
Quando o aspirante ingressa na academia da PM, ele é treinado para isso. Na prova existem os parâmetros de seleção. Um bom policial é aquele que passou por esse treinamento e ingressou na PM. Com o passar do tempo, a experiência de rua de atendimento ao público confere a ele essa agilidade. Para mim, o bom policial é aquele que cumpre o seu papel e defende a sociedade de corpo e alma.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: