Quarta-feira, 10 de Julho de 2024 Fazer o Login

Festival de Artes Cênicas de Conselheiro Lafaiete conta com a participação do Grupo Sol de Teatro

qui, 20 de junho de 2024 10:59

Da Redação

O teatro desempenha um papel fundamental na sociedade ao proporcionar uma plataforma para a expressão artística e a exploração de temas profundos e universais. Ele não apenas entretém e educa o público, mas também provoca reflexões sobre questões sociais, políticas e culturais. Além disso, o teatro promove a empatia ao permitir que o público vivencie diferentes perspectivas e experiências através da interpretação dos atores. Ao longo da história, tem sido um meio poderoso para transmitir tradições culturais, preservar a memória coletiva e inspirar mudanças sociais. Por essas razões, o teatro continua a ser uma forma de arte essencial e uma fonte valiosa de enriquecimento pessoal e comunitário.

Entre os dias 12 e 21 de julho, acontecerá o XXII FACE – Festival de Artes Cênicas de Conselheiro Lafaiete – Prêmio de Teatro Maestro Geraldo Vasconcelos. O evento conta com a realização do Ponto de Cultura e do Centro Cultural Casa do Teatro de Conselheiro Lafaiete.

Neste ano, o festival, que é considerado o maior festival de teatro do interior mineiro, recebendo espetáculos de toda parte do país, convidou o espetáculo “Proteger Vale a Pena” para fazer uma reapresentação da peça no fim de semana de abertura do evento, de 13 a 14 de julho, no Teatro Municipal de Conselheiro Lafaiete.

Conforme o Grupo Sol, a peça “Proteger Vale a Pena” aborda os planos de uma vilã para acabar com a limpeza do mundo e incentivar os maus tratos aos animais. Beto é um garoto corajoso e leal, que enfrenta todos os obstáculos para conseguir a Rosa de Cristal da Gaiola Dourada. O objeto encontrado pelo salvador dos animais tem o poder de destruir as maldades da Bruxa. Os planos da vilã dariam certo, se não fosse pelo Beto.

 

O espetáculo é composto da seguinte forma: texto – Nassim Guerra, com adaptação de Mayara Cruz; direção – Lídia Soares; produção cultural – Nassim Guerra; comunicação – Lídia Soares; maquiagem – Dani Jaínne e Júlia Gutierre; confecção dos fantoches – Vinícius Binercher; cenário – Grupo Sol de Teatro; confecção do figurino: Gléici Martins; trilha autoral/letra – Mayara Cruz; letra da música final – Sam Souza; produção musical – Júnio Rocha; violão – Lindemberg Lopes Sá; acordeon, escaleta e percussão – Júnio Rocha; sonoplastia e

Iluminação – Letícia Barbosa. Atuação – Bruxa Zaira Siriema – Júlia Gutierre; Beto – Sam Souza; Estrelinha Mimi – Dani Jaínne; Flor Penosa: Lídia Soares; Babalú: Lauren Fernanda.

É bom mencionar que, integrantes do Grupo Sol também farão parte da banca julgadora dos espetáculos das fases regional e nacional.

“O espetáculo concluiu mais de 80 apresentações. Agora, mais uma vez, levando o nome de Araguari, através da arte teatral que produzimos”, disse Nassim Guerra.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: