Quarta-feira, 17 de Abril de 2024 Fazer o Login

O principal jogo da história da Ponte Preta – Ficha Técnica

qua, 4 de dezembro de 2013 00:24

Abertura Ficha Técnica

Enfim, a decisão

Começam hoje os 180 minutos mais longos da história da Ponte Preta

Há 113 anos, uma brincadeira de um grupo de estudantes do colégio Culto à Ciência, em Campinas, culminava na criação de um dos primeiros clubes de futebol do país. A partir de 1900, aqueles que ultrapassavam dias jogando bola nas ruas se misturavam com outros que sequer entendiam o que se passava naquele bairro. Como representação de uma comunidade, surgia a Associação Atlética Ponte Preta. Desde então, o mundo girou.

Doze anos depois, mais de 1500 pessoas perdiam a vida durante uma expedição do navio Titanic. Diversos países se enfrentaram na Primeira Guerra Mundial e, não satisfeitos, se confrontaram novamente na África e na Ásia. Criou-se a Organização das Nações Unidas. Albert Einstein recebeu o prêmio Nobel de Física. No futebol, o Uruguai levantou a taça de primeiro campeão da Copa do Mundo.

O Brasil faturava a inédita medalha olímpica com o basquete nas Olimpíadas de 1948 e, a seleção de futebol, o primeiro título da Copa uma década depois. Martin Luther King Junior faleceu com o sonho da luta contra a opressão racial. A ditadura desembarcou no país tupiniquim e as revoluções se espalhavam pelo mundo. Mas qual seria a relação destes e outros tantos registros com o time que inaugurou esta edição?

Em meio a todas as transformações, perdurava a Ponte Preta, primeira instituição ininterrupta do país. Desde a sua fundação, a equipe chegou a ser vice-campeã paulista em cinco oportunidades e semifinalista do Brasileiro de 1981 e da Copa do Brasil de 2001. O apelido pejorativo criado pelo rival Guarani se tornou símbolo do time que, esta noite, recebe o Lanús para o principal jogo de sua história. A Macaca, que entrou pela porta dos fundos no cenário do futebol nacional, tem a chance de novamente sentenciar que o esporte, no qual é pioneira, se joga mesmo é em campo e bola.

Quem vai cair

A gangorra do Brasileirão está próxima do desfecho e os principais desesperados arregaçam as mangas para permanecer na elite do cenário nacional. Com a Ponte Preta e o Náutico sentenciados na segunda divisão, restam seis possibilidades para a degola. Confira:
1. Coritiba e Vasco
2. Coritiba e Fluminense
3. Criciúma e Fluminense
4. Fluminense e Internacional
5. Fluminense e Vasco
6. Fluminense e Portuguesa

Giro da bola

“Brazuca” é guardada a sete chaves pela Fifa. Foto: Todo sobre camisetas

“Brazuca” é guardada a sete chaves pela Fifa. Foto: Todo sobre camisetas

– Adriano desembarca em Curitiba e pode assinar com o Atlético-PR;
– Após ciclo brilhante, Tite ensaia despedida do Corinthians;
– Barcelona estaria em negociações avançadas com David Luiz, preterido no Chelsea;
– CBF está prestes a confirmar aumento de três para cinco vagas de estrangeiros nos clubes;
– Morre Pedro Rocha, ídolo da seleção uruguaia e do São Paulo;
– Corinthians recusa oferta de R$ 25 milhões do Arsenal por Alexandre Pato;
– Detidos pela Polícia Militar, torcedores do Santa Cruz são obrigados a entoar grito do rival Sport;
– Palmeiras está próximo de acerto com zagueiro Lúcio;
– Site divulga imagem da suposta bola da Copa

Varandão da saudade

Nelinho. Exímio cobrador de faltas, fazia da bola um míssil teleguiado. Na Copa de 1978, foi autor de um gol antológico na disputa de terceiro lugar.

Nome: Manoel Rezende de Matos Cabral
*: 26/07/1950, no Rio de Janeiro

Clubes: América-RJ (1970); Barreirense (1970 – 1971); Anzoategui, Venezuela (1971); Bonsucesso (1972); Remo (1972); Cruzeiro (1973 – 1980); Grêmio (1980 – 1982); Atlético Mineiro (1982 – 1987)

Seleção: 1974 – 1980 (21 jogos, 6 gols)

Principais conquistas: octacampeão mineiro (metade pelo Cruzeiro e o restante com o Atlético), campeão da Libertadores de 1976 e terceiro lugar na Copa de 1978.

Nelinho se destacou pelos dois grandes de Minas. Foto: Divulgação

Nelinho se destacou pelos dois grandes de Minas. Foto: Divulgação

 

* A série “Varandão da Saudade” é baseada no livro “Os 100 melhores jogadores brasileiros de todos os tempos”, obra dos jornalistas André Kfouri e Paulo Vinícius Coelho
=========================

Acesse: fichatecnicafc.blogspot.com.br

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: