Sexta-feira, 12 de Julho de 2024 Fazer o Login

Em Resumo – Cara nova

qui, 27 de março de 2014 00:01

Abertura Em Resumo
CARA NOVA
Terceirizada, a BR-050 (trecho entre Delta e Cristalina/GO) começa a ter cara nova, recebendo faixa de sinalização, defensas metálicas, reparos na pista, roçagem e capina da vegetação.

PARAÍSOS EM MEIO AO CAOS
Seis cidades do Triângulo Mineiro não tiveram nenhum registro de roubo em janeiro deste ano: Veríssimo, União de Minas, São Francisco de Sales, Ipiaçu, Cachoeira Dourada e Água Comprida. Os furtos não entram nas estatísticas da Defesa Social de Minas e sabe-se que a maioria deles sequer é comunicada pelas vítimas. Os crimes violentos contra o patrimônio (leia-se assaltos a mão armada) são o tormento das comunidades de todas as grandes cidades.

TRÂNSITO
O desrespeito nas vias de nossa cidade continua evidente. Motoqueiros que não respeitam os sinais de trânsito, motoristas que param seus veículos em faixas de pedestres e muito mais. Além disso, a própria administração municipal deixa os pobres usuários do transporte coletivo totalmente desguarnecidos com a falta de infraestrutura para quem precisa do “busão” para se locomover pelos quatro cantos da cidade.

ABANDONO
O araguarino que precisa esperar o transporte coletivo municipal nos pontos espalhados pela cidade, não tem um mínimo de respeito, pois os locais demarcados para o embarque de passageiros são, em sua maioria, sem a mínima condição de espera. Pontos sem cobertura, em passeios de terra e até mesmo no meio do mato. Além disso, a situação se agrava pelo fato de os motoristas de veículos de menor porte estacionarem seus carros bem no local onde o ônibus realiza o embarque dos passageiros. Falta um pouco mais de carinho dos ‘palacianos’ com os araguarinos e também a conscientização dos proprietários de veículos automotores em não parar em local reservado, ou melhor, falta uma fiscalização adequada para que isso não aconteça.

NA ESTEIRA
Também desfrutaram da calmaria, no primeiro mês do ano, na região do Alto Paranaíba, Tiros, Tapira, Pratinha, Matutina, Carmo do Paranaíba, Arapuã, Abadia dos Dourados, Grupiara, Estrela do Sul, Grupiara e Douradoquara com zero registro de assaltos.

BANDA MAIS COMPLICADA
Os índices de criminalidade violenta no Triângulo são muito maiores que os do Alto Paranaíba, caracterizado por pequenas cidades. No Triângulo estão Uberaba, Uberlândia, Araguari e Ituiutaba, enquanto as maiores cidades do Alto Paranaíba são Araxá e Patos. Em janeiro, a parte mais rica e desenvolvida do “bico” de Minas somou 803 assaltos   à mão armada (metade disso – 402 – em Uberlândia e 265 em Uberaba) contra 109 no Alto Paranaíba.

NEGATIVOS
Outros destaques negativos nos índices da criminalidade no Triângulo e Alto Paranaíba: Conceição das Alagoas – 20 (mais que Araxá com 18 registros), Araguari – 27, Ituiutaba – 34, Monte Carmelo – 36, Patos de Minas – 50 e Patrocínio – 20.

ACONTECEU…

Nasce Renato Russo, líder da Legião Urbana
1960
No dia 27 de março de 1960 nascia, no Rio de Janeiro, Renato Russo, vocalista, baixista, compositor e líder da banda Legião Urbana, que fez muito sucesso nos anos 80 e 90. Ainda quando criança, Renato Russo deixou a capital fluminense e passou um curto tempo com a família em Nova York. A partir dos nove anos, viveu em Brasília. Na Capital Federal, fez parte da banda Aborto Elétrico, entre 1978 e 1982. Depois, integrou a Legião Urbana, onde gravou nove discos e permaneceu até sua morte. Renato Russo também realizou três trabalhos solo: The StonewallCelebrationConcert, Equilíbrio Distante e O Último Solo. À frente da Legão Urbana, ele se consolidou como um dos mais influentes músicos do rock nacional e deixou clássicos como Será, Geração Coca-Cola, Que País é Este, Eduardo e Mônica e Faroeste Cabloco. Para alguns fãs, a paixão e a veneração pela banda chegava a ter um tom messiânico, sendo que alguns a chamavam de Religião Urbana. Renato Russo, contudo, sempre rejeitou este status. O líder do grupo morreu no dia 11 de outubro de 1996, no Rio de Janeiro, vítima de complicações da AIDS.

Inaugurada a Ponte da Amizade,
entre Brasil e Paraguai
1965
No dia 27 de março de 1965, o presidente brasileiro Castelo Branco inaugurou a ponte que une a cidade de Foz do Iguaçu à Ciudad del Este, no Paraguai, cruzando o rio Paraná. Do lado brasileiro, a ponte recebeu o nome de Ponte Internacional da Amizade, enquanto que, do lado paraguaio, a construção foi chamada de Ponte Alfredo Stroessner. A inauguração da ponte era bastante aguardada pela população da região sudoeste do Paraná, pois facilitaria o escoamento de grande parte da produção agrícola da região, principalmente de soja, trigo e milho.

O adeus ao talento de Millôr Fernandes
2012
O polivalente e talentoso Millôr Fernandes dava o seu adeus em um dia como este, no ano de 2012, no Rio de Janeiro, vítima de uma falência múltipla de órgãos, aos 88 anos. Millôr era um tipo de artista raro, daqueles que impressionou crítica e público em todas as áreas em que se arriscou: foi desenhista, tradutor, jornalista, roteirista de cinema, escritor, humorista e dramaturgo. Nascido no dia 16 de agosto de 1923, ele começou no jornalismo em 1938, na revista “O Cruzeiro”. Passou ainda por “O Correio Brasiliense”, “O Estado de São Paulo”, “O Diário Popular”, “O Pasquim”, “Isto É”, “Jornal do Brasil”, “Veja” entre outros. Na internet, mantinha o site Millôr Online e seu perfil no Twitter contava com mais de 285 mil seguidores. Sua fama era tão grande que, em 1948, foi apresentado ao próprio Walt Disney, em viagem aos Estados Unidos. No ano seguinte veio sua primeira incursão cinematográfica, com o roteiro de “Modelo 19”. Em 1953, viu a estreia de sua primeira peça de teatro, “Uma mulher em três atos”. Talento multifacetado, foi no teatro que ele mais colecionou prêmios, tanto por seus textos como por traduções de espetáculos conhecidos. Durante sua vida, Millôr manteve ainda uma longa relação com a jornalista Cora Rónai.

REFLITA
“Nas favelas, no Senado, sujeira pra todo lado! Ninguém respeita a Constituição, mas todos acreditam no futuro da nação.”

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: