Sexta-feira, 02 de Fevereiro de 2024 Fazer o Login

Comitiva da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais visita o Presídio de Araguari

sex, 2 de fevereiro de 2024 08:03

Da redação

Comitiva durante visita ao presídio local
** Everton Gonçalves

Uma comitiva da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais (Sejusp), capitaneada pelo secretário adjunto, Cel. BM Edgard Estevo, concluiu uma série de visitas a unidades prisionais e socioeducativas no Triângulo Mineiro. O grupo percorreu instalações da Sejusp e obras nas cidades de Uberlândia, Araguari, Frutal e Tupaciguara, aproximando a gestão de todos que fazem Segurança Pública diariamente.

 

“Pudemos visitar e verificar in loco condições estruturais, de segurança, de recursos humanos e métodos de ressocialização nos sistemas convencional, socioeducativo e APAC. Uma visita crucial, que valoriza os profissionais da segurança pública nessas cidades, demonstrando a atenção da Sejusp aos desafios que impactam diretamente o trabalho de cada um”, observou o adjunto, ressaltando que a equipe procurou entender as necessidades, potenciais parceiros e outras oportunidades para aprimorar estrutura, condições de ressocialização e condições de trabalho.

 

Além do secretário adjunto, participaram da comitiva a subsecretária de Atendimento Socioeducativo, Giselle Cyrillo, o subsecretário de Integração da Segurança Pública, Christian Vianna; a chefe de gabinete da Sejusp, Patrícia Mello, o assessor-chefe do Departamento Penitenciário de Minas Gerais, Laércio Rocha, e assessores.

No Presídio de Araguari, a equipe visitou fábricas que atuam dentro da unidade, como a de produção de palheiros, e a ampla horta que não apenas beneficia os custodiados, mas também contribui com doações de alimentos para instituições carentes da cidade. O trabalho é realizado desde a abertura do estabelecimento.

 

Ainda em Araguari, a comitiva abordou sobre as melhorias que deverão ser realizadas neste ano no presídio, o qual também necessita de adequações por conta da superlotação.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: