Domingo, 25 de Fevereiro de 2024 Fazer o Login

Zoonoses faz alerta para evitar doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti

qua, 23 de janeiro de 2019 05:15

Da Redação

Os casos de febre chikungunya, zika e dengue, doenças transmitidas pelo mosquito aedes aegypti, aumentaram em todo o Estado.  Diante disso, a secretaria estadual de Saúde (SEE-MG) realizou um levantamento e divulgou o segundo boletim epidemiológico do ano, contendo informações que podem auxiliar os municípios no combate ao causador destas enfermidades.

Somente os casos de febre chikungunya somam 63 em Minas Gerais. O Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba aparecem no topo da lista e Araguari está entre os municípios com apontamento para a doença. No município foi contabilizado um provável registro, juntamente com Uberlândia onde há três casos que estão sob investigação e aguardam resultados finais.

Diante deste cenário, o coordenador do departamento de Zoonoses da secretaria de Saúde, Vicente de Paula Marques de Oliveira, faz um alerta à população. “Apesar dos números estarem dentro da previsão, essa época é bastante propícia para a proliferação do mosquito. O calor e a umidade causada pelas chuvas fazem com que o aedes aegypti se desenvolva rapidamente. Por isso, precisamos que a população esteja atenta e nos auxilie com os cuidados básicos em suas residências, pois, precisamos eliminar possíveis criadouros do mosquito.”

Algumas notificações ainda estão sob investigação e aguardam o resultado final  Divulgação*

Algumas notificações ainda estão sob investigação e aguardam o resultado final
Divulgação*

 

Os principais focos do mosquito permanecem em locais de combate que devem ser feitos pelos moradores, como vasos de plantas, ralos, garrafas, materiais entulhados e outros. “Cada morador precisa cuidar do próprio quintal, a fim de não deixar água parada em local algum. O trabalho é permanente e precisamos da conscientização da população.”

A secretaria municipal por meio do departamento de Zoonoses permanece com ações contínuas de combate ao mosquito. O coordenador relata que o departamento também enfrenta dificuldades devido à falta de repasse do Estado, o que inviabiliza ações mais consistentes. Rotineiramente são feitas visitas domiciliares e pequenos mutirões em locais pontuais com suspeitas de foco do transmissor.

“Visitamos os setores mais críticos, fazendo pequenos mutirões, bloqueios de transmissão, montagem de ovitrampas, visitas em casas abandonadas e terrenos baldios, recolhimento de pneus e também ministramos palestras educativas.”

A chikungunya provoca febre, dores nas articulações e pode causar reumatismo. Existem quadros com dores leves, moderadas e graves. Este tipo de reumatismo é semelhante à artrite, cuja causa é a inflamação nas articulações e a infecção dos nervos, que leva à sensação de dormência. Além disso, ocorre inchaço porque o vírus também invade o sistema linfático.

Os mais acometidos pelos quadros crônicos e dolorosos são mulheres com doença aguda por mais de dez dias ou com mais de três semanas de dores articulares, e pessoas que tenham problemas articulares e diabetes.

O Mosquito

De acordo com informações da SES-MG, o ciclo de reprodução do mosquito pode variar de cinco a dez dias, de forma que passe pela fase larvária até chegar à forma adulta. A fêmea do mosquito deposita seus ovos na parede interna dos reservatórios e estes podem permanecer viáveis por aproximadamente um ano. Assim que o ovo entra em contato com a água, ele eclode e inicia o ciclo. Por isso a importância de fazer vistorias detalhadas dentro de casa e nos quintais, a fim de eliminar possíveis focos.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: