Segunda-feira, 22 de Abril de 2024 Fazer o Login

Segurança escolar é tema de reunião entre prefeitura, Polícia Militar e diretores de escolas

qui, 13 de abril de 2023 08:09

Da Redação

 

Após os casos de violência registrados em uma escola paulista e em uma creche catarinense, no dia 10, a Polícia Militar de Minas Gerais lançou a “Operação de Proteção Escolar”. A finalidade é realizar ações e operações no interior e nos arredores das instituições de ensino, objetivando a prevenção à criminalidade e a manutenção da ordem pública e da tranquilidade.

Segundo a Polícia Militar, a nova ação, de natureza preventiva, antecipa a conexão entre polícia e comunidade, e tem a intenção de aumentar e fortalecer a rede de proteção às unidades de ensino públicas e privadas nos 853 municípios mineiros.

O 53º BPM trabalha na prevenção de prevenção à criminalidade e a manutenção da ordem pública

 

Além disso, ontem,12, a Prefeitura de Araguari, através da Secretaria de Educação, juntamente com o 53º Batalhão de Polícia Militar, representado pelo tenente-coronel, Vanderlam Alves Gomes promoveram uma reunião com os diretores das escolas municipais, estaduais e particulares da cidade. O objetivo foi dar orientações sobre os últimos acontecimentos e também explicar as ações que serão desenvolvidas nesse contexto.

De acordo com o tenente-coronel, Vanderlam Alves Gomes, o encontro serviu para tranquilizar toda a população escolar. “ Várias Fake News estão surgindo depois da onda de violência registrada no Brasil, porém nosso serviço de inteligência está atento para evitar possíveis tragédias”, disse.

Ainda segundo o comandante do 53ºBPM, a “Operação de Proteção Escolar” envolve programas de prevenção já desenvolvidos pela PMMG nas escolas, como o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) e o Programa de Educação Ambiental (Progea), que serão intensificados.

Vale destacar que, essa operação será por tempo indeterminado e os trabalhos consistem na criação de um conselho comunitário de segurança escolar, que reúne professores, pais, alunos e a polícia.

2 Comentários

  1. Eliane disse:

    Tem que ter um complemento familiar também, conversar com os filhos, olhar na pasta o que eles estão trazendo para a escola, tem que ficar de olho neles, ensinar a respeitar os colegas, a não agredir os coleguinhas, a respeitar todos os funcionários da escola, nos Estados Unidos eles aprendem tudo isso desde pequenos. Colocar concertinas nos muros para não pular ninguém, colocar um segurança armado porque o meliante quando vai, vai armado. Perfil das pessoas que atacaram: Vigia de creche, dois que sofreram bullyng, um que tramou vendo na internet, ultimamente dois que viu os outros fazerem e querem fazer também, já teve alunos e ex alunos que mataram professores, teve um que marcou a professora desde pequeno, foi embora da cidade e quando ele cresceu ele voltou e a matou, tem um que matou a supervisora porque ela quis impedi-lo de vender drogas na porta da escola e por aí vai.

  2. Eliane disse:

    Aqui no Brasil já ouve ataque em cinema de shopping por estudante de medicina, ataque em igreja, em loteria não dá para saber o que passa na cabeça dessas pessoas, deve ser aquela voz que fala no ouvido deles, vai matar esses três devem ser sociopatas. Aquele venezuelano que jogou álcool nas pessoas que estavam na fila da loteria lá em Manaus já tinha aprontado antes e deveria ter sido deportado do país.

Deixe seu comentário: