Terça-feira, 09 de Julho de 2024 Fazer o Login

Racismo no futebol: jogador do Uberlândia protagoniza quinto caso em um mês

qui, 13 de março de 2014 16:26
Lateral Francisco de Assis foi o novo alvo de preconceito nos gramados nacionais
CBF lança campanha contra a discriminação no futebol nacional

CBF lança campanha contra a discriminação no futebol nacional

DA REDAÇÃO – Eles representam grande parte da população brasileira. Chegaram durante a era colonial, movimentaram a economia e quebraram barreiras na sociedade. Depois de séculos de resistência, os negros ainda lidam com a discriminação no Brasil. Desta vez, o cenário é o mais popular dos esportes.

Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014. Durante partida entre o Real Garcilaso e o Cruzeiro no Peru, o volante Tinga é alvo de cânticos racistas. Endossando um quadro negativo, o jogador foi mais um alvo de racismo contra brasileiros longe do país. Fora dos gramados, esse jogo se inverteu.

De vítima, o cidadão brasileiro passou a ser o autor. Em apenas uma semana, quatro casos foram apontados nos gramados nacionais. Na última quinta-feira, 6, o volante Arouca, do Santos, ouviu gritos em alusão a macacos na goleada sobre o Mogi Mirim. Como se o problema fosse o endereço, o estádio Mogi Mirim foi interditado e o torcedor, responsável pelo ato, não identificado.

No Rio Grande do Sul, o árbitro Márcio Chagas e o goleiro Lúcio, do São Paulo (RS), também foram hostilizados com preconceito racial. Seguindo em proporções alarmantes, o problema chegou ao quintal de casa.

Essa semana, um torcedor do Mamoré foi detido ao proferir palavras de cunho racista ao lateral Francisco Assis, reserva do Uberlândia Esporte Clube. A partida terminou com o placar de 6 a 1 a favor da equipe de Patos de Minas. No entanto, a maior derrota foi do futebol brasileiro. A três de meses de receber a Copa do Mundo, o país dos “elefantes brancos” e de obras faraônicas não sabe lidar com uma das principais deficiências fora dos gramados.

1 Comentário

  1. Ana Silva disse:

    “DA REDAÇÃO – Eles representam grande parte da população brasileira. Chegaram durante a era colonial, movimentaram a economia e quebraram barreiras na sociedade. Depois de séculos de resistência, os negros ainda lidam com a discriminação no Brasil. Desta vez, o cenário é o mais popular dos esportes.”
    Eles foram trazidos a força ,escravizados,subjugados,mortos,destituídos de suas famílias,convertidos a força a religiões europeias,ignorados e desrespeitados em todas as formas,inclusive em relação aos seus costumes ancestrais! Eles não chegaram,como os brancos que vieram colonizar, tirar riquezas daqui,e sim foram trazidos a força,explorados,como assim foram as riquezas naturais dos nativos daqui!

Deixe seu comentário: