Quarta-feira, 19 de Junho de 2024 Fazer o Login

Quantidade de acidentes em trecho do bairro Amorim preocupa moradores

ter, 14 de janeiro de 2014 02:20
Perigo se tornou constante em cruzamento:  acidente no último domingo acentuou a preocupação dos moradores. Foto: Divulgação

Perigo se tornou constante em cruzamento: acidente no último domingo acentuou a preocupação dos moradores. Foto: Divulgação

P.J. GODOY – O encontro das ruas Padre Nicácio e 28 de agosto. Esse é o endereço de um verdadeiro caos enfrentado por diversos moradores do bairro Amorim. Diariamente, o cruzamento se tornou palco de uma mistura perigosa entre a imprudência de motoristas e a falta de controle do tráfego.

O estopim para a indignação dos moradores foi registrado nesse domingo, 12, quando três veículos se envolveram em um acidente no referido trecho. Em entrevista ao Jornal Gazeta do Triângulo, Adriano de Faria Alves relatou a preocupação. Segundo ele, em várias ocasiões os motoristas chegam a exceder o limite de 40 quilômetros por hora.

“Moro naquela região há 35 anos e a frequência de acidentes sofreu um aumento considerável. Além disso, a cada colisão o perigo aumenta ainda mais, sem qualquer controle. Ontem, por volta das 20 horas, um dos veículos quase atingiu a minha casa. Trata-se de um setor antigo onde residem várias crianças e idosos, por isso tememos pelo pior. Mediante a gravidade da situação esperamos uma providência imediata. Não há semáforo, nem travessia elevada e, a falta de sinalização se mistura com a imprudência dos motoristas, que desrespeitam o limite de velocidade”, declarou.

Conforme apurou a reportagem, o quadro se agrava ainda mais aos fins de semana. Outro ponto apontado pelos moradores é que não há fiscalização. A situação do cruzamento, que está situado nas proximidades da saída para Uberlândia, chegou ao conhecimento da secretaria de Trânsito e Transportes (Settrans). De acordo com a assessora especial de mobilidade urbana, Nádia Cristina dos Santos Sudário, a perspectiva é que em breve uma resposta seja apresentada.

“Identificamos a situação e estudamos a instalação de uma travessia elevada, que não foi concretizada em virtude da falta de interesse na licitação. Precisamos dar entrada em outro processo para colocá-la no local, evidentemente obedecendo às normas do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito). O grau de risco é grande e outros setores também foram pré-diagnosticados com o mesmo quadro. Quanto à implantação de um semáforo, precisaria de uma análise mais cautelosa, com uma contagem volumétrica apurada por quantidade e tipo de veículos, levando mais tempo”, explicou.

PLANO DE MOBILIDADE URBANA

Para conter as cenas de acidentes protagonizadas nas ruas do município, outra proposta da Settrans é o Plano de Mobilidade Urbana. Instituído pelo Ministério das Cidades, a iniciativa deve ser consolidada juntamente com os moradores, aproximando as análises técnicas necessárias com o apelo popular. A expectativa é que o projeto seja concretizado ainda este ano.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: