Segunda-feira, 20 de Maio de 2024 Fazer o Login

Quantidade de acidentes coloca em xeque a conduta de araguarinos no trânsito

qui, 13 de fevereiro de 2014 00:58
Principais acidentes no município envolvem motocicletas. Foto: Gazeta do Triângulo

Principais acidentes no município envolvem motocicletas. Foto: Gazeta do Triângulo

P.J. GODOY – Dia 27 de novembro de 2013. Anoitecia no bairro Jardim Regina, quando mais um morador se tornou vítima do trânsito em Araguari. José Roberto da Cruz conduzia uma bicicleta na rua Joaquim Barbosa, quando foi atingido por um automóvel em alta velocidade. Aos 45 anos, ele não resistiu aos ferimentos e faleceu no último domingo, 9, deixando três filhos.

Assim como José Roberto, outras duas pessoas perderam a vida no trânsito araguarino somente neste ano. Cenas de imprudência, atropelamentos e colisões se tornaram corriqueiras. Além disso, a situação retrata um índice preocupante protagonizado nas ruas locais. É o que aponta o sargento do 53º Batalhão de Polícia Militar, Rogério Rodrigues de Barros.

Em entrevista ao Jornal Gazeta do Triângulo, o responsável pelo patrulhamento de trânsito atribuiu os problemas recentes a uma cultura ineficiente por parte da população.

“Percebemos que a maioria das causas de acidente passa pela pressa dos motoristas e a falta de atenção e preparo, pois muitos sequer possuem Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Outra preocupação é com a displicência dos pedestres, que atravessam as vias fora da faixa e muitas vezes se apóiam na atitude por parte dos motoristas”, lembrou.

Segundo o sargento, que ministra palestras em diversas instituições acerca das condutas e leis de trânsito, o aumento de acidentes também é acompanhado pelo crescimento exacerbado de motocicletas em situação irregular.

“O número de motociclistas envolvidos em acidentes cresceu consideravelmente. O problema é que a cidade não está preparada para comportar essa quantidade de motos. Acredito que, pela praticidade e questões financeiras, muitos optam por adquirir esse tipo de veículo, levando a um alto número de pessoas inabilitadas”, justificou.

RETRATO MINEIRO

Apenas na região sudeste, mais de 14.700 acidentes com vítimas fatais ocorreram no ano anterior, de acordo com o seguro obrigatório de danos no trânsito (DPVAT). Em dezembro, foram 1.102 ocorrências concentradas somente em Minas Gerais. Para o sargento Barros, simples cuidados poderiam evitar essas situações.

“Cumprimos rotinas diárias e realizamos até 30 multas e 12 apreensões de veículos por equipe, contando apenas o patrulhamento de trânsito. A sequela de um acidente pode ser irreversível, mas pequenos detalhes podem impedir que isso aconteça. É preciso estar atento ao atravessar a rua, evitar falar ao celular enquanto dirige, conduzir dentro do limite de velocidade e respeitar a legislação e as outras pessoas. Certamente, seguindo esses procedimentos a segurança tanto de pedestres como de motoristas será mantida”, ratificou.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: