Quarta-feira, 17 de Abril de 2024 Fazer o Login

Prefeito reafirma instalação do 8º Pelotão de Bombeiros no Hospital Municipal

qua, 8 de janeiro de 2014 00:13
Transferência do 8º Pelotão de Bombeiros após conclusão da UPA e chegada da FAB foram anunciadas pelo prefeito Raul Belém. Foto: Gazeta do Triângulo

Transferência do 8º Pelotão de Bombeiros após conclusão da UPA e chegada da FAB foram anunciadas pelo prefeito Raul Belém. Foto: Gazeta do Triângulo

ADRIANO SOUZA – Os atendimentos do Pronto-Socorro continuam sendo realizados em uma parte do Hospital Municipal desde janeiro de 2012, após a administração anterior ter demolido o antigo prédio localizado na praça da Constituição.

Logo nos primeiros meses do seu governo em 2013, o prefeito Raul Belém (PP) informou que após a conclusão das obras da UPA – Unidade de Pronto Atendimento, o prédio do Hospital Municipal abrigaria o 8º Pelotão do Corpo de Bombeiros de Araguari, o que foi novamente confirmado pelo chefe do Executivo na primeira semana de janeiro de 2014.

“Esse é um compromisso e assim que forem concluídas as obras da UPA, o prédio do Hospital será disponibilizado para que os Bombeiros tenham um local adequado para continuar atendendo a população com a presteza de sempre, dando um grande passo para transformação do nosso pelotão em batalhão de Bombeiros. Em uma parte daquela estrutura, estaremos criando a central de ambulâncias do SAMU, aproveitando assim todo investimento aplicado no local”, comentou Raul Belém.

“A outra boa notícia é que, graças a essa transferência, faremos de imediato a doação da área hoje ocupada pelos bombeiros para instalação de uma empresa que atua na fabricação de aviões e peças de reposições, a FAB, que aguarda esse trâmite para poder investir no município, gerando empregos e receita para nossa cidade” concluiu o prefeito.

O Hospital Municipal de Araguari deveria atender diariamente cerca de 800 pessoas gratuitamente. O prédio começou a ser construído em 2001 e foi inaugurado três vezes. Inúmeros problemas estruturais encontrados na obra inviabilizam sua utilização na área de saúde conforme constatado por uma comissão do Ministério da Saúde que vistoriou o local.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: