Quinta-feira, 14 de Março de 2024 Fazer o Login

Neuropsi – O que é onicofagia?

sex, 29 de março de 2019 05:48

Abertura-neuropse

1- O que é onicofagia?

A onicofagia é o hábito de morder (roer) ou comer as próprias unhas. Apresenta-se em estados de ansiedade e pode estar associado com episódios de estresse ou alterações psiquiátricas. Uma vez estabelecido, as condutas que o exacerbam são fome, tédio e inatividade. Pode também estar associado a transtornos mentais ou emocionais, segundo sua frequência.

2- Qual é a sua frequência?

A onicofagia é bastante frequente na infância e adolescência, chegando a atingir 30% das crianças e até 45% dos adolescentes. É mais comum no sexo masculino comparativamente com o feminino. Em crianças de 7 a 10 anos, ocorre entre 28 e 33% dos casos. Muitas crianças roem as unhas ao ver seus pais com o mesmo mau hábito. No caso pontual de pacientes de até 18 anos, a aparição da onicofagia se deve ao transtorno por ansiedade, ou também por tiques, hiperatividade ou transtorno obsessivo compulsivo.

Na fase adulta, a porcentagem de onicófagos é reduzida, chegando a atingir de 19 a 45% dos indivíduos. Esta diminuição é acompanhada do aumento de outros hábitos, a exemplo de mordiscar o lábio, morder lápis, coçar o nariz, enrolar o cabelo, fumar ou mascar chicletes.

3- onicofagia é uma doença?

A onicofagia não é considerada uma doença. Na verdade, existe um limiar bastante sutil entre a normalidade e a doença, conhecida como onicofagia crônica. Identificar esta patologia consiste em verificar se a pessoa rói todas as unhas sem distinção, se o ato é compulsivo e se a pessoa vem a se machucar, ferindo cutículas, extremidades dos dedos e afins.

4-Qual é o motivo da  maioria das pessoas que realiza tratamentos para deixar de roer as unhas fracassa?

A ansiedade, o nervosismo, a depressão, o estresse, o aborrecimento, os problemas ou a tristeza  são o  que desencadeiam a onicofagia que não é simples de tratar.

Os hábitos nervosos ou negativos começam com uma mudança quase imperceptível no dia a dia. Quando a pessoa vai se acostumando com essa prática, aumenta a quantidade de vezes em que a realiza.

5- Qual é a causa principal de roer as unhas?

A causa principal de roer as unhas é a falta de consciência. As pessoas não se dão conta do que estão fazendo até que alguém as faça notar ou até se machucarem. Então, pode-se dizer que a onicofagia é uma resposta automática a um problema, um escape, uma maneira de evadir ou expressar os sentimentos etc.

6- Como identificar uma pessoa com onicofagia?

Identificar uma pessoa que tem o hábito de roer unhas é bastante simples, basta observar se a mesma realiza os seguintes passos:

– posicionar a mão próxima à boca e permanecer cerca de alguns segundos a meio minuto;

– promover pancadinhas rápidas com os dedos sobre os dentes anteriores;

– morder as unhas com os dedos firmemente pressionados contra as superfícies dos dentes anteriores;

– remoção do dedo da cavidade oral, quando o dedo é inspecionado visualmente ou apalpado, ou seja, quando alguém chama a atenção do indivíduo.

Vale salientar, que estes passos são acompanhados de uma expressão facial bastante séria e de uma situação em que o emocional do indivíduo está sendo posto a prova (ansiedade, nervosismo, estresse etc.).

7-Quais as consequências da onicofagia?

A onicofagia, apesar de ser um hábito, pode trazer consequências graves para a saúde de quem a pratica. Muitos germes que estão nas mãos são transportados diretamente para a boca. Em particular, muitos patógenos têm a habilidade de viver e se proliferar embaixo da unha. Além de contaminar estômago, boca etc., é comum contaminar os outros dedos por meio dos patógenos que ficam na saliva. A dentição também pode ser afetada, apesar de não ter sido cientificamente comprovado, muitos dentistas acreditam que a má oclusão nos dentes anteriores pode ser desenvolvida ou agravada em crianças que roem unhas. É certo que existe o desgaste do esmalte dos dentes incisivos e que cáries podem ser mais frequentes nessa região.

O estômago também é afetado por este hábito: bactérias do mundo externo podem ser transportadas da boca até ele, infectando o sistema digestório e também o suco gástrico, que é produzido com maior intensidade, podendo ocasionar diversas doenças. Além disso, podemos citar também que esta patologia restringe o uso das mãos, danifica as unhas e afeta a sensibilidade nos dedos, que são comumente machucados pelos dentes.

9- E finalmente, como evitar a onicofagia? 

A única terapia para a onicofagia que apresenta adequada fundamentação na literatura é a comportamental e cognitiva. Entre as terapias comportamentais, muitos pacientes têm achado na terapia de comportamento, benefícios, tanto sozinha como complementada por medicamentos. A primeira parte do tratamento é a mudança de hábitos ou terapia de reação de competição. Este é um processo de quatro partes que consiste em procurar a forma de eliminar o hábito nocivo e substituí-lo por outro saudável. Ademais se aplica uma terapia de controle de estímulos para identificar e eliminar o que estimula a cada pessoa a comer as unhas.

A medicação consiste em antidepressivos ou antipsicóticos, com o objetivo principal de atuar diminuindo a ansiedade dos pacientes. Vitamina B também pode ser utilizada, reduzindo a vontade de roer unhas, pois ela aumenta a atividade da serotonina no cérebro, que é normalmente associada a desordens no sistema nervoso.

Além desta forma, é possível utilizar esmaltes, protetores de unhas, mordedores ou luvas para as mãos. Várias tecnologias estão sendo desenvolvidas a fim de eliminar hábitos, a exemplo da utilização de pimenta ou afins.

 

 

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: