Sexta-feira, 12 de Abril de 2024 Fazer o Login

Neuropsi – O que é erotização precoce?

sex, 26 de abril de 2019 05:22

Abertura-neuropse

1-O que é erotização precoce?

Erotização precoce, nada mais é, do que inserir o mundo sexual adulto, na vida da criança, ou seja, é uma “adultização da criança”. Acionar os impulsos sexuais antecipadamente faz com que a criança não desenvolva assertivamente suas emoções e afetividade. É necessário criar uma base sólida, para que no momento oportuno, ela possa assimilar suas relações sociais, dando sequência aos seus processos cognitivos. O apelo midiático e das redes sociais, contribui fortemente nesse problema. Formas de vestir e comportamento são ditados por esses meios, desconsiderando as necessidades infantis.

Preocupado com esse assunto polêmico, no mês de abril, encabeçada pela secretaria de Assistência Social do Amazonas, foi lançada campanha contra a erotização precoce. A iniciativa chamou a atenção na internet.

O slogan “Criança não namora, nem de brincadeira” foi criado em parceria com a blogueira Dany Santos.

De acordo com a secretaria do Amazonas, o objetivo da campanha é conscientizar pais e responsáveis sobre relacionamentos infantis. Desde então, a hashtag #criancanaonamora ganhou as redes sociais  cuja intenção é mobilizar escolas; comunidades; psicólogos e pais contra a exploração infantil.

2-Mas porque  não à erotização precoce?

A indústria de brinquedos, roupas e cosméticos investe tanto na adultização infantil! Não podemos fazer o mesmo. É nosso papel separar o mundo adulto do mundo infantil. Misturar os dois mundos é cair no erro da erotização precoce. A infância precisa de proteção e não de adultos que afastam a criança daquilo que é próprio para a idade dela.

Uma erotização precoce pode ser nociva para a criança, pois ela acaba pulando uma das etapas mais importantes da vida: a infância.

Todo afeto envolvido nos primeiros anos de vida é feito sem malícia. Até mesmo a descoberta da sexualidade da criança nasce como descoberta, curiosidade, sem a erotização que envolve o mundo adulto.

3- E de onde nasce essa precocidade na erotização infantil?

Essa precocidade pode nascer até mesmo na casa da criança, com os pais incentivando brincadeirinhas a respeito de namoricos no colégio ou em outros ambientes frequentados pelo filho. No entanto, a criança não entende o conceito de namoro e tende a repetir aquilo que aprende. Nesse caso, ela pode, por exemplo, reproduzir determinados comportamentos, sem ter noção da complexidade que envolve uma relação afetiva amorosa.

Por esse motivo, brincadeiras desse tipo jamais são inofensivas. Vale lembrar que crianças são seres em formação, aprendem muito com o exemplo dos pais e pessoas próximas, estão ainda aprendendo conceitos como “certo” e “errado”.

O machismo ocupa papel central nessa história. Em idade escolar, meninos são incentivados a terem uma “namoradinha”, e meninas são ensinadas a se comportar. Essa é a regra geral. Os pais interpretam o interesse pelo outro, as preferências por tais e tais amigos, as primeiras escolhas infantis, como algo erótico, quase genital. Não se trata disso. A criança só está aprendendo a fazer amigos e a se relacionar. Não são namoradas ou namorados. Essa é uma projeção dos adultos.

4-Quais são as recomendações para as escolas e professores?

Professores e escolas também precisam estar atentos. A conversa precisa de uma correção de rota, caso o papo de namoro surja muito cedo. Criança tem de brincar. A brincadeira infantil é um exercício de comportamento; ao pular o aprendizado, a criança apenas reproduz comportamentos, sem compreendê-los. A hora de namorar vai chegar. Os adultos é que precisam ser reeducados a entender o universo infantil. A criança não discrimina sentimentos de aproximação e amizade. Antecipar essas sensações causa angústia à criança. É preciso reconduzi-la ao mundo infantil.

5-Afinal, quando é hora?

Por mais engraçadinhas que possam parecer duas crianças trocando juras de amor, é bom lembrar que filhos não podem ser vistos como adultos em miniatura. Desde cedo, os pais têm de deixar claro que só adultos namoram de verdade. Tudo tem sua hora. E as crianças precisam entender isso.

Os pais precisam direcionar a energia das crianças para o conhecimento, os esportes, os estudos e aguardar a maturidade completa para a entrada na puberdade. Não é preciso estimulá-la nessa direção. Dar tempo ao tempo é a melhor resposta.

Não se trata de repressão, ou puritanismo. Estamos falando sobre cuidado, respeito e amor. Portanto, vamos evitar queimar etapas, cada coisa em seu tempo.

É preciso compreender que o desenvolvimento infantil é um grande e importante processo, onde etapas devem ser seguidas com cuidado e afeto. Qualquer tentativa de interromper esse ciclo pode acarretar em sérios prejuízos em sua vida adulta.

Criança não namora, ela tem amigos. Sua estrutura, ainda não permite compreender o que é um namoro. Com certeza, terá mais afinidade com alguns amigos do que em relação a outros, o que levará a uma maior convivência; isso não quer dizer, que haja um interesse sexual.
 

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: