Quarta-feira, 28 de Fevereiro de 2024 Fazer o Login

Ministério Público pede a preventiva do suspeito de balear adolescente

sex, 7 de março de 2014 00:49
Matheus segue internado em estado muito delicado. Foto: Divulgação

Matheus segue internado em estado muito delicado. Foto: Divulgação

DA REDAÇÃO – Bruno Antônio Marques (21 anos), suspeito de efetuar três disparos de arma de fogo que atingiram a cabeça e as costas de Matheus Henrique (17), na madrugada da Quarta-Feira de Cinzas, em Araguari, deve permanecer atrás das grades. Esse é o entendimento do promotor de Justiça substituto João Paulo Fernandes, que requereu a conversão da prisão em flagrante em preventiva.

“Havendo prova da materialidade do delito, o qual é tentado até o presente momento, e indícios veementes de autoria, impõe-se reconhecer que a liberdade de Bruno Antônio Marques representa risco para a segurança pessoal da vítima, além de colocar em perigo a ordem pública, que inevitavelmente seria afetada pela efetivação do desiderato do acusado”, argumentou o representante do Ministério Público.

João Paulo Fernandes citou ainda se tratar de crime com pena privativa de liberdade máxima superior a quatro anos. Por fim, frisou que a prisão preventiva de Bruno Antônio Marques é medida necessária para a garantia da instrução processual, tendo em conta que há informação nos autos a respeito da participação de outra pessoa na tentativa de homicídio em questão.

Conforme informações dos policiais, Matheus Henrique voltava a pé de uma festa no Parque de Exposições Rondon Pacheco com duas garotas (25 e 28 anos), residentes no bairro de Fátima. Por volta de 4h, no cruzamento da avenida Miguel Assad Debs (antiga Planalto) com a rua Jaime Araújo, bairro Santa Terezinha, quando dois autores se aproximaram e um deles atirou contra o adolescente, também conhecido como Cafezinho.

O suspeito Bruno foi capturado pela Polícia Militar pouco depois dos fatos, na rua Doutor Ciro Palmerston, no mesmo bairro,  porém, não portava a arma do crime. O outro envolvido não tinha sido identificado até o fechamento desta edição.

Os militares apreenderam o aparelho celular de Bruno. Nele, foram localizadas fotos de arma de fogo, de acordo com o boletim de ocorrência. O caso é investigado na Quarta Delegacia Regional de Polícia Civil (DRPC).

Até ontem, a vítima baleada permanecia internada em estado gravíssimo, no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia.

RIXA

Bruno Antônio Marques, segundo a Polícia, é contumaz na prática de delitos, com passagens por furto, desacato, receptação e envolvimento com o tráfico de drogas.

Há pouco menos de dois anos, em um bar na avenida Oswaldo Pieruccetti, na região do bairro Paraíso, ele ficou ferido após ser atingido no peito por um disparo de arma. Eram dois autores, que teriam fugido em um Fiat/Uno.

Mesmo baleado, Bruno foi até sua casa, onde foi encontrado gravemente ferido pelos bombeiros militares.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: