Segunda-feira, 04 de Dezembro de 2023 Fazer o Login

Mãe de jovem assassinada vem a Araguari em busca de Justiça

qui, 23 de janeiro de 2014 09:57
Morte de Milla Cristtian continua  cercada de mistérios. Foto: Divulgação

Morte de Milla Cristtian continua
cercada de mistérios. Foto: Divulgação

DA REDAÇÃO – Nesta quarta-feira, 22, a chefe de ordenha na cidade do Prata, Maria Aparecida Moreira de Jesus esteve na redação da Gazeta do Triângulo com o objetivo de cobrar das autoridades locais informações sobre a morte de sua filha Milla Cristtian Moreira da Silva, ocorrida no ano passado, em Araguari.

Maria Aparecida havia passado antes pela Quarta Delegacia Regional de Polícia Civil, onde tomou conhecimento de que o inquérito havia sido remetido ao Fórum Dr. Oswaldo Pieruccetti. Ela também procurou a Justiça e ficou sabendo que o caso é analisado.

Milla Cristtian (20 anos) morreu vítima de traumatismo craniano, na madrugada do dia 14 de agosto. O corpo dela foi encontrado pela manhã, em uma estrada vicinal, sem roupas, a poucos metros da MG-414, na região das Araras; apresentava hematomas na face e não havia qualquer perfuração.

Para Maria Aparecida, duas colegas de Milla, também moradoras na cidade do Prata, estariam escondendo algo sobre aquela noite e deveriam ser investigadas. “Elas saíram juntas para Araguari e se encontravam na mesma boate naquela noite”, afirmou a mãe da vítima.

A trabalhadora deixou claro que não está acusando as duas, no entanto, acredita que elas deveriam colaborar com as diligências. “Fiquei sabendo que houve uma briga no estabelecimento, tanto que uma moradora chegou a ver duas moças correndo pela rua e depois retornando à boate”, afirmou. “No dia seguinte, dois carros foram ao local e sairam levando as moças e suas malas de viagem”, completou.

Ainda abatida com a tragédia, Maria Aparecida frisou que veio a Araguari para saber o que realmente houve com sua filha, pois segundo ela os responsáveis devem pagar pela barbaridade que cometeram.

Milla Cristtian era a única mulher dos quatro filhos de Francisco das Chagas e Maria Aparecida, e completaria 21 anos no dia 23 de agosto.

INQUÉRITO
Ao contrário de outros casos, a conclusão dos trabalhos de investigação por parte da Polícia Civil sobre a morte de Milla Cristtian não foi revelada à imprensa. Sabe-se que um suspeito era investigado, pois teria saído com a vítima na madrugada dos fatos.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: