Terça-feira, 16 de Abril de 2024 Fazer o Login

Livro “Araguari e sua história” reúne mais de uma década de pesquisas do Arquivo Histórico

sex, 6 de dezembro de 2013 17:20

Hoje, a partir das 17h no Palácio dos Ferroviários, a população está convidada a participar da solenidade de lançamento do livro “Araguari e sua história”, das autoras Juscélia Abadia Peixoto e Aparecida da Glória Campos Vieira. As duas são historiadoras do Arquivo Histórico e Museu “Dr. Calil Porto”, departamento ligado à Fundação Araguarina de Educação e Cultura – Faec.

A obra é resultado do trabalho de pesquisa desenvolvido no Arquivo Histórico, criado para resgatar o passado da cidade e divulgá-lo à sociedade. O setor foi responsável pelos relatos inseridos nos dossiês de tombamento dos primeiros bens imóveis da cidade, no ano de 1997. A partir deste período, as pesquisas tinham como objetivo reunir informações referentes a variados temas.

Com o apoio da mídia impressa local, essas pesquisas passaram a ser publicadas e difundidas à comunidade araguarina.

Em 2006, após a conclusão do informe histórico destinado a compor os dossiês de tombamento daquele ano, surgiu o desejo de publicá-lo em forma de livro.

Depois de lapidado e complementado, estará nas mãos da população a partir de hoje, com pesquisas efetuadas pelo Arquivo Histórico por mais de uma década, baseadas quase que exclusivamente em fotografias e diversos documentos de seu próprio arquivo.

O cidadão encontrará, portanto, uma porta aberta para o conhecimento de sua realidade e de sua origem. Cada partícula inserida na malha do tempo fragmenta o todo e reflete o eu de cada um, que fez e faz parte desta história.

1 Comentário

  1. Inocêncio Nóbrega Filho disse:

    Juscélia e Aparecida:
    agora, que plantaram uma árvore, chamada de livro. só podem merecer nossas felicitações. “Araguari e sua história” juntar-se-á ao meu “Malhada das Areias Brancas”, que editei em 1974, dedicado à evolução histórica de Soledade, Paraíba, minha terra natal. Os dois, por sua vez, ao lado de dezenas de outros, do mesmo gênero, formando um exército, cuja bandeira é desoficialização da história nacional. Tenho interesse em lê-lo.

Deixe seu comentário: