Terça-feira, 23 de Abril de 2024 Fazer o Login

Índice de infestação de dengue ainda preocupa em Araguari

qua, 26 de março de 2014 00:02

Principais incidências concentram em bairros tradicionais do município

Acúmulo de lixos intensifica os focos do mosquito transmissor. Foto: Divulgação

Acúmulo de lixos intensifica os focos do mosquito transmissor. Foto: Divulgação

P.J. GODOY – A guerra contra a dengue em Araguari ganhou um novo capítulo nesta terça-feira, 25. Comparado ao mesmo período do ano anterior, a infestação do mosquito transmissor sofreu uma redução de 2% este mês. É o que aponta o Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa).

Pela segunda edição este ano, o estudo apresentou um risco médio da doença à população. Ainda assim, alguns detalhes preocupam os pesquisadores. Foi o que informou o coordenador do Departamento de Zoonoses, Wellington Colenghi.

“É importante ressaltar que o índice apresentado em janeiro foi mantido, com médio risco. Conseguimos diminuir em comparação ao mesmo período em 2013, quando foram registrados 4,1%. Infelizmente, os quadros mais elevados continuam em bairros tradicionais do perímetro urbano. Além disso, 32,4% dos criadouros do mosquito são encontrados em lixos descartados nos imóveis, fato que os próprios moradores poderiam evitar”, ressaltou.

Com o índice médio de 2,3%, Araguari está acima da média determinada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), equivalente a 1%. Os bairros com indicador mais elevado são Industrial, Aeroporto, Rosário além do Centro, com 5%.

Além de lixos e entulho, os principais focos foram localizados em vasos de plantas, pratinhos, bebedouros de animais e frascos com água (19,7%); caixas d’água ao nível do solo, tambores e tonéis (15,5%); calhas, lajes, ralos e sanitários em desuso (14,1%). Sobre os procedimentos a serem tomados, Wellington Colenghi reforçou o alerta à população.

“As visitas ocorrem a cada 40 dias. Mesmo assim, os moradores devem se conscientizar sobre a responsabilidade em cuidar da saúde e do seu lar. A dengue é um assunto sério, que compromete a vida em até 15 dias, podendo levar até a morte. O município está sob controle, mas a população deve ficar atenta, principalmente pelo período chuvoso que ainda não acabou”, disse. A próxima edição do LIRAa está marcada para outubro deste ano.

RETRATO MINEIRO

Em 2013, de 353.687 casos configurados, 116 terminaram em mortes no território mineiro. Uma delas foi registrada em Araguari. Além do município, outras 61 cidades apontam médio índice de infestação. No início deste ano, 12 localidades de Minas apresentavam alto risco de epidemia.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: