Terça-feira, 09 de Julho de 2024 Fazer o Login

Fundação Araguarina de Educação e Cultura comemora centenário de Geraldo França de Lima

sex, 28 de março de 2014 10:58
Projetos aprovados pelo PMIC serão apresentados durante evento
O escritor araguarino deixou como legado 14 obras que enriquecem a literatura brasileira. Foto: Arquivo

O escritor araguarino deixou como legado 14 obras que enriquecem a literatura brasileira. Foto: Arquivo

SAMARA ARRUDA – Em comemoração ao centenário de Geraldo França de Lima, a Fundação Araguarina de Educação e Cultura (Faec) realiza neste sábado, 29, uma exposição com as principais obras literárias do escritor, considerado um dos filhos mais ilustres de Araguari e nome de destaque no cenário cultural do país.

O evento acontece na Casa da Cultura Abdala Mameri, a partir das 9h. Na oportunidade, será apresentado o resultado dos projetos inscritos no programa municipal de Incentivo à Cultura – PMIC, edital 01/2013.

Segundo contou Carmem Valente Alvim, presidente da Fundação, ao todo foram 17 projetos aprovados, destes, oito foram confirmados com recursos na faixa de R$ 20 mil; oito no valor de R$ 10 mil e apenas um de R$ 9 mil.

“Vamos aproveitar a homenagem e divulgar a importância do programa de incentivo que carrega o nome de Geraldo França de Lima, além disso, iremos repassar à imprensa os proponentes dos projetos que serão realizados ao longo deste ano,” explicou a presidente.
O evento é aberto à comunidade, e conta ainda com a presença de agentes culturais e autoridades locais.

Centenário de Geraldo França de Lima

O araguarino, nascido a 24 de abril de 1914 e falecido no dia 22 de março de 2003, na cidade do Rio de Janeiro, chegou à Academia Brasileira de Letras, em julho de 1990. Deixou como legado 14 obras que enriquecem a literatura brasileira, tendo como tema de inspiração a natureza. Seu primeiro romance, Serras Azuis, lançado em 1961, virou novela na Rede Bandeirantes, no ano de 1998.

Foi casado com Lygia Bias Fortes da Rocha Lagoa França de Lima, que faleceu em 2002. Sofrendo a perda da visão, o acadêmico ditava seus livros à companheira. Seu último romance, “O sino e o som” foi lançado em 2002.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: