Terça-feira, 23 de Abril de 2024 Fazer o Login

Espaço do Leitor – Empregado custo a investimento, por Adão Alcides Bernardes

qui, 6 de março de 2014 00:00

É com frequência que ouvimos de alguns empresários alegações que precisam dispensar parte de seus empregados para reduzir seus custos operacionais. A questão nos leva a refletir sobre essa necessidade pode ocorrer que realmente seja necessário demitir em caso de excesso. Podendo se chegar à conclusão de que não houve planejamento nas contratações compatibilizando as com a previsão de receitas

Em alguns casos, porém o problema está na falta de investimento em seus empregados, capacitando-os a agirem como parceiros interessados no crescimento da empresa e no seu próprio.

No comércio é patente o despreparo de alguns atendentes que, se melhor capacitados fossem, poderiam alavancar vendas ajudando o empregador suportar eventuais crises passíveis de acontecer neste mundo globalizado em que vivemos.

Exemplificando: quando ao entrar em uma loja de confecções, apareceu um jovem afoito perguntando? – O senhor já foi atendido?, Como se eu acabava de entrar!

Um cliente pretendendo trocar seu veículo escolheu determinado modelo e cor foi a uma concessionária, o vendedor que o atendeu mostrou outro veículo e modelo que não era o que interessava sem outras providências.

Procurando o veículo em outra concessionária também não encontrou o para pronta entrega, porém a atitude do vendedor foi diferente: determinou que se avaliasse o veículo, anotou telefone e endereço do pretendente e pediu ao fabricante modelo escolhido. Dias após a venda estava sendo efetivada

Esta historinha contada é apenas para mostrar quanto é importante a capacitação de empregados. Também alguns empresários deixam o cliente completamente à vontade no estabelecimento. A aproximação pode ser discreta, mas o atendente deve estar próximo quando este tomar a decisão. Do contrário, corre se o risco deste circular pela loja e sair sem ser atendido

O consumidor que recebe atendimento personalizado é cativado e por isso pode retornar. Ele é a mola propulsora do sucesso de uma empresa que acontece quando os empregados são considerados investimentos e são treinados para agir como parceiros interessados no crescimento da empresa

Para isto é necessário que se estabeleça metas a serem compridas, premiando não só aqueles que promovem diretamente as vendas como também aqueles que na retaguarda do escritório são suporte da empresa em suas atividades operacionais

Adão Alcides Bernardes
Advogado

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: