Domingo, 17 de Março de 2024 Fazer o Login

Coluna: Saúde Alerta (12/10)

qua, 12 de outubro de 2022 10:47

APNEIA DO SONO

Essa semana, foi apresentada no Jornal Nacional a importância de conscientizar a população sobre os riscos que a apneia do sono pode levar o paciente.

A Apneia do Sono (AOS) é um distúrbio causado pela obstrução das vias respiratórias em função da desregulação dos músculos da faringe. A condição acarreta perda da qualidade de sono, já que causa incômodo na respiração do paciente.

A longo prazo e se não tratada, a apneia se torna uma doença crônica e provoca outros problemas de saúde. Alguns fatores de risco contribuem para o desenvolvimento da doença, como: obesidade; maus hábitos de alimentação e uso de medicamentos para dormir, sendo é um fator de risco relevante nas doenças cardiovasculares. Pacientes com distúrbio do sono grave têm de duas a quatro vezes mais chances de desenvolver arritmias cardíacas, que os pacientes que não possuem a doença. A hipertensão arterial também é um fator de risco para os pacientes com AOS, com um aumento de até três vezes mais. A prevalência de Apneia do Sono em pacientes com insuficiência cardíaca é estimada em 40% a 70%. Pacientes com Apneia do Sono não tratada tem 2,5 mais chances de sofrer um AVC (Acidente Vascular Cerebral) do que aqueles pacientes sem AOS.

insuficiência cardíaca também é um fator de risco para os pacientes com AOS, sendo estimada em 40% a 70% dos casos. Por isso, a doença vem sendo cada vez mais associada a problemas cardíacos.

A principal relação entre apneia e doenças cardiovasculares é a reação provocada na fisiologia respiratória. Dependendo da gravidade da condição, o paciente sente piora em quadros de hipertensão arterial, podendo levar à morte súbita.

Outro dado preocupante sobre o não tratamento da apneia do sono é que as chances de sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC) aumentam em 2,5 vezes.

É de extrema importância que pacientes com problemas cardiovasculares preexistentes façam um estudo do sono para identificação de algum distúrbio noturno. Esse estudo é conduzido em uma clínica do sono, através do exame chamado Polissonografia; nele o médico poderá identificar o tipo e grau da apneia e qual melhor tratamento para o paciente.

Existem diversas opções de tratamento para a Apneia do Sono, tais como, aparelhos ortodônticos e cirurgias, porém o método mais eficaz e recomendado pela Organização Mundial da Saúde é o uso da Terapia do Sono com Pressão Positiva nas Vias Aéreas (CPAP).

O tratamento eficaz da Apneia do Sono não resulta apenas em uma maior qualidade do sono, mas também tem impacto positivo na redução da pressão arterial, insuficiência cardíaca e arritmias. Além disso, o tratamento reduz os riscos de o paciente desenvolver outras doenças, como diabetes.

Existem outros fatores que podem impactar a qualidade do seu sono, e dentre eles é a escolha de um colchão adequado.

 

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: