Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2024 Fazer o Login

Coluna: Neuropsi (07/04)

qui, 7 de abril de 2022 08:06

1-O que é chantagem emocional?

A chantagem emocional é o ato de provocar sentimento de culpa no outro com objetivos próprios ou quando uma pessoa usa da sensibilidade do outro com a finalidade de ser bem-sucedido em conseguir algo desta pessoa.

A arma do chantagista é provocar a culpa na tentativa de induzir alguém a fazer algo que não quer e não deve em favor deste. Ao contrário do que se pensa; os que praticam a chantagem emocional não são vítimas, porque não sentem culpa em se comportar assim, mas sabem que muitos a sentem com facilidade e se aproveitam deles sem nenhum pudor. Muitos casos de chantagem emocional ocorrem entre pessoas próximas e com forte vínculo emocional (mãe, filho, parceiro (a); nesses casos fica ainda mais difícil e doloroso resistir à pressão, ou seja, pode haver um certo toque de egoísmo nas tentativas de chantagear o outro usando suas emoções.

 

2-Quais as características das pessoas manipuladas?

 

As pessoas manipuladas são frequentemente vulneráveis e propensas a desenvolverem sentimento de culpa, medo e de obrigação bem como a evitar situações de conflito, acabando por ceder, sobretudo quando os laços afetivos são maiores como na relação entre casais ou pais e filhos. No entanto, essa não é a melhor maneira de lidar com a situação, na medida que reforça o comportamento manipulador e a sua repetição.

 

3-E dos chantagistas?

A manipulação é frequentemente oriunda de pessoas inseguras, autocentradas e com pouca capacidade para conseguirem a empatia dos outros, que recorrem privilegiadamente a estas estratégias para obterem o que desejam, sem levarem em consideração as necessidades dos outros, assim como o sofrimento que lhes induzem.

Essas pessoas precisam usar “armas pesadas” para obter o que deseja, talvez não acredite que se apenas solicitar o que deseja ou tentar acordos sensatos possa não ser tão bem-sucedido.

Provavelmente não está nada acostumado à frustração, não tolera o “não” e leva a vida sem bastar-se como gente.

Um chantagista sofre de uma grave doença, a de não conseguir amar e de achar-se, bem lá no fundo, uma porcaria de gente, incapaz de atrair as pessoas usando formas mais saudáveis. A chantagem é um erro muito grave no exercício das relações.

 

4- Quais os tipos de chantagem emocional?

A primeira é a do bullying emocional usado para inibir a outra pessoa; a segunda é quando o chantagista se recusa a dar aprovação e amor ao outro até que atinja seu objetivo. (Pais e mães fiquem atentos a isso); a terceira chantagem emocional é a que se baseia na própria dor do chantagista para manipular os outros e conseguir simpatia e aceitação. O famoso fazer-se de vítima; já a quarta é a do sofredor: sua infelicidade é a ameaça maior que ele usa sobre os outros, colocando os chantageados na posição de responsáveis por qualquer consequência negativa de sua vida.

5-Quais são as recomendações sugeridas?

Romper com o padrão de chantagem emocional não é fácil e pode induzir sofrimento para ambas as partes, mas é essencial para que a pessoa manipulada possa restaurar a sua liberdade individual e para que o sujeito manipulador possa desenvolver novos comportamentos mais saudáveis na relação com os outros.

Importa não ceder ao jogo da culpa, fazer uso da razão e ser firme na recusa.

A assertividade também transmite uma imagem mais segura e menos vulnerável, inibindo a ação da pessoa manipuladora.

Em casos mais graves, em que a pessoa se tornou refém emocional da outra, passando a viver numa situação de exploração emocional e de acordo com os interesses daquela, em desrespeito pelos próprios, poderá ser aconselhável a procura de ajuda psicológica especializada.

Trabalhar a inteligência emocional, promover a autoestima, aumentar a conscientização dos direitos e deveres e reforçar os limites pessoais são fatores protetores que capacitam a pessoa para lidar com estas situações de modo mais ajustado.

 

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: