Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2024 Fazer o Login

Coluna: Cantinho do Mário (27/08)

sáb, 27 de agosto de 2022 08:41

CANTINHO DO MÁRIO

ESTAR JOVEM

Conversava com um amigo, quando passou um senhor bem mais idoso por nós. Foi quando ele, o amigo, perguntou-me: “Será que o tempo é estático e nós é que passamos pelo tempo, ou é o tempo que passa para nós? ” Fiquei sem resposta. Pensei comigo: “E essa agora? ” Afinal que o importa? O fato é que nosso corpo envelhece e depois fenece. Pois é. O Criador nos deu o corpo que precisamos para esta romagem no plano terrestre. Sofremos dores, alegrias, prazeres e medos, o corpo é o instrumento do espírito, é isto que nos faz evoluir. Nossos cinco sentidos são a janela da alma, nosso espírito recebe um corpo para passar na prova da matéria e sem esses sentidos, passaríamos em branco pela vida, apenas vegetaríamos. Entretanto, na vida existe o antes, o durante e o depois. Passamos pela infância, adolescência, idade adulta e velhice. Enquanto somos jovens ou adultos, a vida sorri para nós, vivemos principalmente no mundo das sensações e emoções, através dos efeitos da adrenalina, endorfina, dopamina, serotonina, ocitocina, testosterona e outros. Na velhice vamos ficando limitados, ficamos mais lentos, às vezes a memória falha, e mais uma série de efeitos da idade. O interessante é que nossa mente não acompanha a decrepitude do corpo. Quando um cidadão chega aos oitenta anos de idade seus amigos somem, uns desencarnam, outros mudam de cidade, outros adoecem e por aí vai. Resultado, começamos a viver no mundo dos mais moços, os idosos vão rareando a nossa volta e nosso contato no dia-a-dia é com pessoas mais jovens. Isso de repente cria uma confusão na cabeça do idoso que acaba se esquecendo de suas limitações, e comete enganos. Certo dia um conhecido ficou de olho em uma menina que passava, eu olhei para ele ri e comentei em tom jocoso: “Para com isso Zé!” Ele não se deu por achado me respondeu na chapa: “Acaba o tesão, mas não acaba a intenção. ”Demos boas risadas. O importante é não deixar a mente envelhecer, temos que estar conscientes de nossas limitações. O conhecimento torna a alma jovem e diminui a amargura da velhice. Colhe a sabedoria. Armazena suavidade para o amanhã. Os mais velhos têm muito a ensinar. É uma existência inteira de experiências acumuladas. Muito mais do que a busca por uma eterna juventude, chegar às idades mais avançadas é sinal de um caminho bem trilhado. Afinal, uma das únicas certezas que se têm é que, envelhecendo, e com qualidade, a vida é bem vivida. Quem se entrega à velhice do corpo, fica doente da alma. Há quem diga que a velhice é sinônimo de sabedoria, será? Eu tenho minhas dúvidas. Existem velhos e idosos. Se estamos com a corda curta é exatamente para nossas reflexões, o fato de estarmos debilitados é para nosso próprio bem. Se Deus entendeu que isso é o melhor para nós, reclamar pra quem? Ninguém deve ficar triste por ficar velho, é muito mais triste desencarnar antes de envelhecer. Nem todos têm essa oportunidade, bola pra frente. Sorria sempre, não se entregue, não faça um quarteto com o trio da amargura: Jiló, jurubeba e guariroba.

 

MÁRIO FERREIRA.:

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: