Segunda-feira, 22 de Abril de 2024 Fazer o Login

Coluna: Cantinho do Mário (19/02)

sáb, 19 de fevereiro de 2022 08:06

A ARTE DO ENCONTRO

Uma coisa que ninguém discute é que somos animais sociais. Já dizia Aristóteles (384 – 322 a.C.), um filósofo grego, que o homem é um sujeito social, que por natureza precisa pertencer a uma coletividade. Somos, portanto, animais comunitários, gregários, sociais e dependentes uns dos outros. Não fomos criados para viver solitários, quando Jesus disse que amar ao próximo como a nós mesmos é um mandamento que resume todos os ensinamentos da lei e dos profetas, Ele tentou nos dizer que tudo no universo é solidário. Está no afeto as leis e os princípios, que o egoísmo e o orgulho contradizem a virtude e nos fazem sofrer, pois negam a lei de justiça nos condenando a arcar com as mazelas da lei de causa e efeito. É preciso encontrar as coisas certas da vida para que ela tenha o sentido que se deseja. Assim, a escolha de uma profissão, de uma companheira, de um grupo, também são a arte do encontro; porque a vida só adquire propósito junto daquilo e daqueles a quem amamos. Aquele que prefere a solidão normalmente é egoísta, orgulhoso, complexado, ou tem alguma deficiência mental; porque refuta as leis primordiais da nossa existência. Uma condição básica na vida para que possamos ser felizes em nossos encontros é a humildade que é uma virtude muito esquecida entre nós, sem ela não podemos ser caridosos ou indulgentes para com o próximo. Este é um sentimento que nos nivela, nos lembrando que somos irmãos e nos induz ao bem. Diz o sábio que sem a humildade apenas nos adornamos de virtudes que não possuímos, disfarçando nossos verdadeiros sentimentos. Por isso, não devemos nos esquecer dos ensinamentos do Mestre, que com sua humildade foi colocado acima de todos os profetas. Passamos a vida a procura da felicidade, normalmente a procuramos nas coisas materiais, nos esquecendo que ela reside nas coisas morais infungíveis que a traça não rói e o ladrão não rouba, dependendo do encontro às vezes escolhemos o joio. Diz o ditado que antes só, que mal acompanhado. Para sermos felizes temos que nos sintonizar com a vibração amorosa do universo, nos transformar em homem de bem cumprindo a lei de justiça, de amor e caridade na sua maior pureza. Com a dureza da vida nos transformamos e passamos a ser exigentes, entretanto os outros por dentro são exatamente como nós. Estão se esforçando por melhorar, porém vão tão devagar que muitos te dão a impressão que são incorrigíveis, mas Deus que há tanto tempo espera por nós, esperará por eles também. A vida não passa de uma oportunidade de encontro, só depois da morte se dá a junção, os corpos apenas têm o abraço, as almas têm o enlace. Disse Milton Nascimento sobre o encontro: O trem que chega, é o mesmo trem da partida, a hora do encontro é também despedida, a plataforma dessa estação, é a vida desse meu lugar. E Vinicius de Morais eternizou a frase: A vida é a arte do encontro, embora haja tantos desencontros pela vida.

 

MÁRIO FERREIRA.

1 Comentário

  1. Zeca du Boi disse:

    Mário, cadê os parágrafos, Mário ???

Deixe seu comentário: