Segunda-feira, 22 de Abril de 2024 Fazer o Login

Coluna: Cantinho do Mário (15/01)

sáb, 15 de janeiro de 2022 08:07

LÁ VEM O TREM

 

Existe, em todas as culturas, em todos seguimentos religiosos, um presságio do fim dos tempos. Cada um, à sua maneira, puxa a brasa para sua sardinha, alguns estão convictos que somente os que pertencem à sua religião serão salvos. Uns acreditam que após o desencarne seus espíritos vão dormir e esperar o julgamento final, outros acreditam em uma mansão dourada, outros no Nirvana. As interpretações são muitas. Há até quem acredite na eterna ociosidade e que estamos a sós no universo. Mas o bom observador, que não tem preconceitos, vislumbra outra realidade e acaba por compreender que tem muita coisa mal compreendida e que há uma solidariedade no universo, que a lei do carma faz com que os espíritos vivam mudando de domicílio. No fim da segunda guerra mundial, o mundo já contava com cerca de 3,5 milhões de habitantes, hoje estamos beirando os 8 bilhões, o que significa que cerca de 4,5 bilhões de espíritos migraram para cá para dar continuidade às suas romagens. Acreditar que a alma é criada ao mesmo tempo que o corpo, isto é fazer pouco caso do Criador, ou simplicidade. Uma das provas de nossos renascimentos são as crianças precoces, verdadeiros gênios. Não estaria o Criador sendo arbitrário em prejuízo dos outros? Essa genialidade não seria produto de experiências anteriores? Então vem dos genes? Nunca vi uma célula com cérebro! É verdade que elas guardam alguns recursos da hereditariedade, como se fossem um programa de computador, mas apenas físicos, não da capacidade intelectual. O Pai perdoa e dá novas oportunidade. Senão onde estaria a justiça? Os filhos do Einstein não viraram gênios. Todos os espíritos do Universo e Multiverso foram criados para um fim, evoluir e posteriormente servir ao Criador na sua obra. Para isso, temos que atingir as condições de atender as diretrizes universais, a vida na carne é uma escola e a principal orientação é: “Amar ao próximo como a si mesmo”. Precisamos uns dos outros, do padeiro, do médico do professor, do lixeiro etc. Deus é a unidade, e nós a variedade. Assim, precisamos estar preparados para servir onde formos chamados. A lei de evolução está em todos os reinos. Deus não desperdiça nada, muito menos espaço. Em todo canto fervilha a vida. Marte é habitado como todos outros planetas do sistema solar. Não vemos seus habitantes porque nossos olhos não foram feitos para ver na frequência e dimensão que vivem. Assim, as naves que enviamos àqueles planetas só darão notícia do que estiver na nossa frequência. Hoje, a mediunidade é um recurso natural de acesso a outra dimensão que está se tornando comum. O dom de ver espíritos, às vezes é um suplício para muitos. Conforme a crença, são taxados de endemoniados ou malucos, mas isso vai mudar, ainda existe muito preconceito e ignorância. O tão propalado fim dos tempos se resume na transformação moral e psíquica das pessoas e do próprio planeta. Adquiriremos mais alguns dons além dos cinco sentidos. Só ficará por aqui quem se enquadrar na lei do amor. Os “rebeldes” serão cambiados a lugares condizentes com sua situação evolutiva. O êxodo de espíritos visando a transformação moral dos planetas e dos habitantes é comum, muitos degredados de outros orbes nasceram aqui para nos ajudar a sair do primitivismo, e agora estão chegando os missionários muito mais evoluídos pra atender um mundo novo. É a lei! É a convalescença da alma! Vai valer a pena ficar por aqui, mas como eu disse, é questão de merecimento. Aqui será um planeta de regeneração, não será o paraíso, mas, imperará o amor e a justiça. Escutem a música “Lá vem o trem com o Agêpe”, é uma ótima analogia ao que eu quis dizer. E não percam o trem…

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: