Segunda-feira, 22 de Abril de 2024 Fazer o Login

Cantinho do Mário – Washington Batista Neves

sáb, 8 de dezembro de 2018 05:18

Abertura-cantinho

Natural de Ipameri – GO. Nascido aos 4 de janeiro. Pais: Alemar Neves e Dinesa Batista Neves. É casado com a professora Claudia Pires de Araújo Neves. Filhos: Alexandre: autônomo; Igor, industrial e Ariane, Odontóloga.

Passou a infância e juventude em Araguari, veio para cá muito jovem com sua família. Fez parte do curso primário na Escola Estadual São Francisco de Assis e terminou na Escola Estadual João Pedreiro. Fez o ginásio no Colégio Regina Pacis e Colegial na Escola Estadual Professor Antônio Marques.

Washington Batista Neves

Washington Batista Neves

Foi funcionário do Segundo Batalhão Ferroviário de 1975 a 1978. Saiu de lá e foi trabalhar com um amigo chamado Otacílio que havia fundado uma empresa denominada Marcegráfica, situada na rua 28, no bairro Goiás onde aprendeu a profissão de confeccionador de carimbos.

Como o dono pretendia se desfazer da confecção de carimbos e trabalhar apenas com sua marcenaria, ele adquiriu a empresa e deu continuidade as suas atividades.

Manteve a denominação social por algum tempo e concomitantemente montou uma gráfica onde fazia panfletos e outros. Com o passar do tempo decidiu ficar somente com a confecção que passou a denominar-se “SÓ CARIMBOS AAA”, finalmente mudou-se para a rua Rio Branco nº 293, fone: 3241-6640, em Araguari.

O interessante é que conheço a empresa há muitos anos e bota anos nisso, fizemos muitos lá.  Quem passa na rua Rio Branco, quase não nota a placa, mas está lá firme que nem aroeira no campo.

Em pleno século XXI, seus serviços são muito solicitados. Parabéns ao Washington que modernizou sua empresa para atender bem a sua vasta e exigente clientela. É…  carimbos ainda não saíram de moda.

Um super abraço ao meu amigo, honesto, gentil, trabalhador e persistente.

CASOS E HISTÓRIAS PITORESCAS DE ARAGUARI

Aqui em Araguari existia um Colégio denominado Regina Pacis e anexo a ele havia um Seminário onde se formavam Padres.

Ali trabalhavam vários padres estrangeiros e principalmente holandeses. Era um colégio muito famoso, tinha internato e estudantes vindos de todo lado do Brasil. Um desses Padres era nosso saudoso Pe. Alberto.

Naquele tempo a cidade era muito pequena e o campo estava muito próximo ao que hoje é o centro. Os padres criavam galinhas e por conta disso apareceu uma raposa que virava e mexia levava uma.

O Padre Alberto resolveu o problema; ficou de butuca armado com uma espingarda, assim que a raposa apareceu: “bang”.

Ele, entusiasmado com sua façanha, com um sotaque holandês contou pra todo mundo que havia matado a “biriba” (não sabia o nome do animal em português).

A partir daí os alunos por gozação começaram a chamá-lo de biriba; no começo ele não gostou, mas com seu coração generoso logo aderiu a ideia. Virou farra.

Até as crianças mexiam com ele que correspondia com um largo sorriso.  Saudade do meu amigo que me chamava de “Márrio.”

Quem não tem dinheiro….

MÁRIO F.S. JÚNIOR

 

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: