Segunda-feira, 22 de Abril de 2024 Fazer o Login

Cantinho do Mário – Aloisio Nunes de Faria

sáb, 20 de fevereiro de 2016 08:24

Abertura-cantinho

Natural de Araguari, nascido aos 15 de dezembro. Pais: Joaquim Ribeiro de Faria (meu saudoso amigo) e dona Nilza Nunes de Faria. É casado com a professora Eliane Rocha de Faria. Filhos: Leonardo, Advogado; Juliana, Mestre em Música e Aloísio Filho, Técnico em Informática.

Aloisio Nunes de Faria

Aloisio Nunes de Faria

Viveu a infância e juventude em Araguari. Fez o primário na Escola Estadual Padre Damião, o ginásio no Colégio Santo Antonio e o colegial na Escola Estadual Antonio Marques. Estudou Ciências Contábeis e Administração de Empresas pela Universidade Federal de Uberlândia.

Seu primeiro emprego foi aos 12 anos de idade na gráfica do jornal Gazeta do Triângulo como aprendiz de tipógrafo com nosso saudoso amigo Afif Rady. Nessa ocasião conheceu e fez amizade com vários araguarinos de renome que atuavam na imprensa de nossa cidade, tais como: Alarico Assunção, Fernando Paulo de Lima, Neiton de Paiva Neves, Mário Nunes, João Domingos, Professor Walter Leite, Dr. João Nascimento de Godoy e Abdala Mameri, entre outros.

Posteriormente, trabalhou na Tipografia São José, que na época era a gigante na área tipográfica do Triângulo Mineiro e Sul de Goiás. Lá, graças aos conhecimentos adquiridos na Gazeta,  nosso amigo Aloisio era escalado para editar jornais e revistas de clientes de várias cidades.

Trabalhou também como chapista (diagramador) no Informador Comercial e Industrial de Araguari, que era de propriedade do Otoniti Torres, quem se lembra?  Ali, começou publicar suas primeiras matérias jornalísticas.

Prestou serviço também em outras empresas na área contábil: Agrofértil, Transcol, Eme – Eletro Mecânica de nosso amigo Donato Eugenio – onde exerceu também o cargo de Diretor Administrativo, porém  nunca deixou o  jornalismo que realmente é sua vocação.

Em 1972, fundou o seu primeiro jornal, o Panorama de Araguari, informativo que teve como sócio o empresário Antonio Carlos Bonolo. Em 1983, fundou a Tipografia Araguari juntamente com nosso amigo Luciano Siqueira e compraram o Jornal Ventania.  No mesmo ano, foi um dos fundadores do  Jornal de Araguari que funcionou até 1990, sob sua direção. Em 1994, projetou e foi um dos fundadores do Diário de Araguari, jornal que dirigiu em duas ocasiões na gestão da empresa Eical. Fundou e dirigiu ainda os jornais Araguari Hoje e Folha de Araguari.

No serviço público, atuou como diretor do Departamento de Imprensa da prefeitura de Araguari, nas gestões dos prefeitos Miguel Domingos Oliveira (1992/96) e Milton de Lima Filho (1997/2000). Foi também vice-presidente da Faec e secretário de Gabinete no governo do prefeito Marcos Coelho de Carvalho.

Ainda no jornalismo, em 2005 iniciou seu trabalho na internet com a edição do blog Portal de Araguari, atualizado diariamente até os dias de hoje. Ainda na rede mundial de computadores, trabalhou como editor da versão online da Gazeta do Triângulo.

Participou como diretor em entidades de representação de classe, das quais citamos a Associação dos Contabilistas e ACIA Araguari.

Foi sócio fundador do Rotary Araguari Sul. Foi Venerável da Loja Maçônica Brasil Central nº 10. Hoje é assessor de comunicação da Associação Comercial e Industrial de Araguari  e diretor executivo nas  empresas Advance – Publicações, Marketing e Eventos e Serras Azuis Turismo.

O Aloísio é o que chamamos de empreendedor e idealista; enfrentou diversas dificuldades que tirou de letra. É um amigo sincero e honesto. A cidade precisa de mais gente como ele. Pena que a coluna não comporte toda a história do Aloísio que teve uma vida rica de dedicação à cidade de Araguari. Ainda está jovem, tem muito pra dar.

Um super abraço.

CASOS E HISTÓRIAS PITORESCAS DE ARAGUARI

Eu ainda era menino e fui testemunha de um dilúvio. Ali onde é a avenida Coronel Theodolino havia um imenso matagal e um córrego a céu aberto. O local era habitado por preás, cobras, bagres,  lambaris, rãs, sapos e outros.

Naquela época chovia mesmo, o tempo escureceu  e foi chuva que Deus deu, o pé d’água durou umas quatro horas e quando parou a vizinhança se surpreendeu, pois a correnteza arrastou tudo que havia em seu caminho. Mais ou menos ali onde é a rua Joaquim Modesto formou-se uma barragem com os detritos, paus e outros. Virou uma lagoa que ia até o campo do Araguari Atlético Clube, vi muita gente passear de canoa por lá. O interessante é que ninguém fez nada assim que as chuvas cessaram, depois de um mês mais ou menos, é que as águas baixaram. Pegou até o Noé de surpresa.

Quem não tem dinheiro…

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: