Quarta-feira, 28 de Fevereiro de 2024 Fazer o Login

Camila “Paredão” retorna ao município, confessa homicídio e alega arrependimento

qua, 16 de julho de 2014 00:10
Recambiada para Araguari nesta segunda-feira, jovem tem a prisão preventiva decretada. Foto: Gazeta do Triângulo

Recambiada para Araguari nesta segunda-feira, jovem tem a prisão preventiva decretada. Foto: Gazeta do Triângulo

DA REDAÇÃO – No início da tarde desta terça-feira, 15, Camila Cristina Mendes, também conhecida por Camila “Paredão” (20 anos), deu entrada no Presídio de Araguari, recambiada do município de Ituiutaba, Pontal do Triângulo, onde havia sido capturada pela Polícia Civil semana passada, na casa de parentes, no bairro Lagoa Azul 1.

Por volta das 17h de ontem foi levada à 4ª Delegacia Regional de Polícia Civil (DRPC), para interrogatório sobre a morte de Priscila Campos, no dia 25 de maio deste ano, durante evento de som automotivo em um clube campestre, no bairro Palmeiras do Império.

O delegado Fernando Storti, titular do inquérito, ouviu a investigada por pouco mais de 30 minutos, e não se convenceu das declarações de Camila “Paredão”, que foi escoltada por cinco agentes prisionais – sendo uma mulher. A jovem aparentava tranquilidade, apesar de algemada pelos braços e pernas.

Ela confessou ter matado Priscila Campos (29 anos) com uma facada, mas alegou legítima defesa, pois teria sido agredida naquela oportunidade pela vítima e amigos dela. Além disso, tomou conhecimento de que o namorado da jovem estaria portando arma de fogo, uma vez que existiam atritos anteriores entre as duas. Conforme contou, a faca utilizada no crime foi entregue pela colega Sara Fernandes.

Após o golpe fatal em Priscila e também tentar contra a vida de Dayana Gabriela dos Santos Rodrigues (30 anos), a investigada disse que correu até a avenida Mato Grosso, pegando um mototáxi. Antes, dispensou a arma branca em um mato perto do local dos fatos. Mais tarde, sua mãe e um amigo da mesma a levaram em um carro para Ituiutaba, permanecendo escondida na casa de uma tia até o último dia 10.

Camila Cristina Mendes, que sorriu no interrogatório, ao ser questionada sobre seu apelido, afirmando ser de cunho íntimo, revelou que soube do falecimento de Priscila somente no dia seguinte, através do noticiário pela TV. A jovem alegou estar arrependida do crime e afirmou que não se apresentou à Polícia em razão de ter sofrido ameaças de morte, as quais tomou conhecimento através de pessoas do presídio.

A versão apresentada por “Paredão” não convenceu o delegado Fernando Storti, inclusive tendo inocentado a amiga Bruna dos Santos Xavier – presa desde à época do crime. “Foram desculpas para todos os lados. Embora afirme estar arrependida, não demonstrou isso, chegando a sorrir durante seu interrogatório. Diante das provas reunidas, sabemos que a história é bem diferente”, comentou o policial.

Ainda nesta segunda-feira o juiz Ewerton Roncoleta transformou a prisão temporária de 30 dias em preventiva. Assim, Camila Cristina Mendes deve permanecer recolhida na unidade prisional até o seu julgamento pelo Tribunal do Júri. Antes, o inquérito será remetido ao Ministério Público para oferecimento ou não da denúncia. A jovem foi indiciada por homicídio duplamente qualificado e homicídio tentado qualificado, junto com Bruna dos Santos Xavier.

Camila – que afirmou ser usuária de drogas, possui passagem por associação ao tráfico de drogas, tendo sido presa pela Polícia Militar no dia 23 de novembro do ano passado, no bairro Brasília. Em janeiro, conseguiu o relaxamento da prisão.

Camila “Paredão” durante chegada à Delegacia Regional e o interrogatório:
Fotos: Gazeta do Triângulo
p1 p2 p3

2 Comentários

  1. antonio disse:

    A Camila” paredão”agora está emparedada.

  2. bia disse:

    E os parentes que guardaram ela durante esse tempo, lá em Ituiutaba e a mãe e o amigo que a levaram para longe, não vão responder por dar fuga a uma criminosa?

Deixe seu comentário: