Terça-feira, 16 de Abril de 2024 Fazer o Login

Atividade policial pode ser acompanhada via câmeras e rastreamento

ter, 12 de novembro de 2013 00:04

Ministério Público solicita a
modernização de órgãos de segurança

DA REDAÇÃO – Dia 14 de julho de 2013. O ajudante de pedreiro Amarildo de Souza é visto pela última vez, acompanhado de policiais em uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro. O caso, que ganhara proporções alarmantes, poderia ser tratado como desaparecimento, se não fossem os aparelhos de GPS instalados nas viaturas.

A partir do rastreamento de dois dos quatro veículos presentes na ocasião, a investigação apontou o envolvimento de 25 policiais, sendo 13 deles presos preventivamente. Implantados recentemente em todas as viaturas do Rio de Janeiro, os aparelhos de GPS se tornaram ferramentas primordiais para elucidar o crime. Para que situações similares não sejam protagonizadas em Araguari, o Ministério Público entrou com um pedido a fim de modernizar a segurança local.

De acordo com o documento, as adequações constituem a instalação de câmeras e equipamentos de GPS em todas as viaturas, além de rastreamento e gravação dos atendimentos policiais via 190. Além do Rio, a medida também foi implantada em cidades de São Paulo e Paraná, com saldo positivo.

Segundo o Ministério Público de Minas, a proposta implica em fiscalizar os serviços, a fim de reduzir os índices de violência, abusos e desvios de conduta dos policiais, bem como auxiliar em determinada ocorrência.

Enquanto o sistema de GPS verifica a equipe mais próxima para o atendimento, a ação é monitorada detalhadamente por imagens obtidas pelas câmeras dos veículos. Além disso, os dados da denúncia são armazenados pelo período mínimo de um ano, isentando possíveis omissões e descasos. Para o comandante do 53º Batalhão de Polícia Militar, Volney Halan Marques, a iniciativa tende a somar os serviços prestados à comunidade.

“Há um projeto pronto para ser implantado, por meio da instalação do Centro de Atendimento de Despacho (CAD). Mesmo que ainda não seja realidade em Araguari, a iniciativa é uma forma de agilizar o atendimento, além de resguardar os nossos serviços e intensificar a presença de atuação”, declarou.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: