Domingo, 21 de Abril de 2024 Fazer o Login

Araguari registra Índice de Infestação Predial com médio risco, LIRAa 1,7%

ter, 25 de julho de 2023 08:08

Da Redação

 

No dia 20, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) divulgou os resultados do segundo Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LirAa/LIA) de 2023. A pesquisa, realizada junto às cidades mineiras entre 15 de maio e 2 de junho, é parte da estratégia de monitoramento e controle do mosquito transmissor dos vírus causadores da dengue, chikungunya e zika.

Segundo os dados enviados à SES-MG por 817 municípios, 380 (46,5%) deles apresentaram o Índice de Infestação Predial pelo Aedes (IIP) igual ou menor que 0,9 e, por isso, receberam a classificação satisfatória, indicando que eles estão com baixo risco de transmissão de arboviroses. Apesar disso, ainda havia 373 (45,7%) municípios em situação de alerta e 64 (7,8%) permaneciam em situação de maior risco (Índice de Infestação Predial – IIP maior que 4,0) para a transmissão das doenças no período investigado.

Um novo LIRAa será realizado em agosto
Divulgação

 

É bom mencionar que, o IIP aponta o percentual de imóveis que apresentaram recipientes infestados por larvas de Aedes, em relação ao total de imóveis que foram verificados pelos Agentes de Combate a Endemias (ACE).

No primeiro LirAa de 2023, realizado no mês de janeiro, dos 828 municípios que realizaram o levantamento, 319 deles (38,6%) estavam em situação de risco para a transmissão da dengue, chikungunya e zika, com IIP igual ou maior que 4. Outros 339 (41%) estavam em alerta e, em apenas 169 (20,4%), o indicador foi classificado como satisfatório, com IIP igual ou menor que 0,9.

Em Araguari, conforme o último Levantamento Rápido de Índices para o Aedes aegypti —LIRAa, realizado em maio, o município possui Índice de Infestação Predial com médio risco, 1,7%. Vale destacar que, de acordo com os dados coletados no dia 13 de janeiro, através LIRAa, o município possuía Índice de Infestação Predial com alto risco, 6,7%.

De acordo com o coordenador do Departamento de Zoonoses, Euzébio dos Santos, os casos reduziram devido ao período da seca, à diminuição da temperatura e ao trabalho realizado pelo departamento de Zoonoses. “Será realizado um novo LIRAa no mês de agosto”, esclareceu.

Além disso, conforme os dados da Secretaria Municipal de Saúde, através do Departamento de Zoonoses, até o dia 24 de julho, foram registrados 1672 casos dengue, 16 de chikungunya. Até o momento, não há nenhum óbito confirmado para essas doenças no município.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: