Quarta-feira, 28 de Fevereiro de 2024 Fazer o Login

Radar – Indefinido

sex, 18 de julho de 2014 00:01

Abertura Radar
charge 18072014
INDEFINIDO
Apesar de a coluna ter palpitado recentemente sobre as possíveis preferências do prefeito Raul Belém (PP) para estadual e federal, o mesmo ainda não se manifestou sobre sua escolha para apoio.

GRADATIVO
A cada amanhecer aumentam ainda mais as mídias dos candidatos que disputarão as eleições de outubro próximo. Pelo andar da carruagem, a coisa deve mesmo esquentar a partir de agosto, após a festa tradicional de Romaria.

CAUTELOSO
Quando estava se preparando para colocar o bloco do seu candidato na rua essa semana, o PPS recuou devido a Lei Municipal nº 4.403 de 17 de abril de 2008 que disciplina a veiculação de propaganda de candidato, partido político ou coligação no período eleitoral ou fora dele.

LIMITE
Quarta-feira, 16, foi a data limite para que os candidatos apresentassem suas contas bancárias para a campanha. Cada um tem o direito de escolher a agência de sua preferência, por isso é difícil saber quem está dentro da Lei. Outro exemplo é que não há como colocar a campanha na rua sem ter a conta aberta.

CENSURADAS
Na matéria publicada nesta quarta-feira, 16, sobre o acidente envolvendo o bimotor “Dragon” da OMTA – Organização Mineira  de Transportes  Aéreos,  às 11 horas do dia 4 de fevereiro de 1947, que caiu próximo à Santa Casa de Misericórdia, após decolar do Aeroporto Santos Dumont, as imagens feitas após o desastre não foram publicadas para não trazer constrangimentos.

DE PONTA CABEÇA
O saldo líquido de empregos formais gerados em junho foi de 25.363 vagas, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quinta-feira, pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O saldo é resultado de 1.639.407 admissões e de 1.614.044 demissões. Segundo levantamento de dados oficiais, este foi o pior resultado para meses de junho desde 1998, quando foram abertas 18.097 vagas de empregos com carteira assinada. O Ministério do Trabalho começou a divulgar dados desse tipo em 1992.

BARRADOS
SILAS BRASILEIRONo primeiro ano de aplicação da Lei da Ficha Limpa em eleição majoritária, 17 candidatos mineiros foram considerados ficha-suja pelo Ministério Público Federal de Minas (MPF), por meio de sua procuradoria eleitoral, entre eles dois deputados estaduais, um federal, um ex-parlamentar federal e seis ex-prefeitos. Eles foram reprovados pelo MPF porque tiveram rejeição de contas públicas e condenações em segunda instância por crimes como improbidade administrativa e abuso de poder político. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) tem até 5 de agosto para julgar os casos e barrar as candidaturas. Na lista dos ‘sujões’, estão os deputados estaduais Leonídio Bouças (PMDB) e Pinduca Ferreira (PP), além do deputado federal Carlos Melles (DEM) e do ex-deputado federal Silas Brasileiro (PMDB) (foto) que inclusive sempre foi bem votado em Araguari. Os candidatos têm sete dias para contestar os questionamentos.

‘FUMO’ À VISTA
Enquanto o governo ainda decide se vai dar uma nova ajuda às distribuidoras, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) alerta que os reajustes tarifários a partir de agosto podem ficar ainda maiores do que os concedidos desde o início do ano. Caso não haja uma solução para a parte do rombo que ainda atrapalha as finanças das empresas, os consumidores começarão a pagar antes do previsto o custo dos problemas do setor. O alerta foi dado nesta quarta-feira, 16, pelo diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, que destacou a falta de capacidade financeira das distribuidoras para arcar com o descompasso remanescente entre a energia garantida em contratos de longo prazo com as geradoras e a eletricidade que elas precisam comprar a preços mais elevados no mercado à vista. Mesmo com o leilão emergencial realizado no fim de abril, o empréstimo bancário de R$ 11,2 bilhões viabilizado pelo governo só foi suficiente para cobrir o buraco das empresas até o fim daquele mês.
======================

ENTRE ASPAS

“Ela ficou rindo durante o depoimento e disse que o apelido “paredão” é intimo!”
Do delegado Fernando Storti, ao relatar trechos do depoimento de Camila “Paredão”.

“Confesso que fiquei bastante emocionado!”
Rubens Vasconcelos, assinante e leitor dessa coluna que foi aluno da professora Iná Ferreira no Colégio Regina Pacis, uma das vítimas do desastre do avião da OMTA em 1947. Rubens lembrou ainda que a professora comunicou aos alunos que faria a viagem.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: