Sábado, 16 de Janeiro de 2021
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Um flamenguista que liderou o tricolor araguarino

ter, 5 de janeiro de 2021 20:24

Por Márcio Marques

O Tricolor do Bosque é um dos times mais tradicionais da região

O Tricolor do Bosque é um dos times mais tradicionais da região

O flamenguista convicto Darli Amaral também se enveredou no esporte araguarino. Mesmo com o sangue rubro-negro circulando em suas veias, o empresário encarou mais um desafio em sua vida: comandar o Fluminense Futebol Clube de Araguari.

Darli tinha o sonho de colocar o Tricolor do Bosque na vitrine do futebol mineiro e sem titubear colocou seu nome à disposição nas eleições do clube araguarino, que teve a aprovação por unanimidade pelo Conselho Deliberativo tricolor.

Missão árdua, pois antecedendo sua gestão passaram nomes como Sebastião César da Silva, Mauro Cunha, Oswando dos Santos Monteiro, Raul Campos, Carlos de Morais, Otto Dílson Dettmer, Luiz Fernando Alves, Marcelo Luiz Alves, entre outros eternos baluartes, mas aquele era o momento e a vez de Darli Jeová do Amaral presidir o Fluminense Futebol Clube de Araguari, uma das principais agremiações esportivas de Minas Gerais.

Um grande número de associados compareceu à Assembleia Geral, janeiro de 2008, no Estádio Sebastião César, elegendo, por aclamação, a diretoria liderada por Darli Amaral, que foi eleito para o mandato no triênio 2008-2010, conforme determina o Estatuto do clube.

Darli Amaral não cansava frisar que passou pelas categorias de base do Fluminense, assim como seus filhos Lucas e Gustavo. Como comandante do Flu deixou claro que sempre acreditou no trabalho em equipe e, por isso, se preocupou bastante na escolha dos companheiros de diretoria, colocando pessoas de sua confiança e extremamente próximas a ele para auxiliar no comando do clube.

No seu entendimento, o clube representava muito para o futebol mineiro e, desta forma, comandou tricolor com muito respeito e seriedade, sem esquecer da valorização do seu patrimônio.

Outro sonho concretizado foi colocar a equipe novamente no futebol profissional, mostrando assim que o visionário presidente não mediu esforços para que o nome do Fluminense e consequentemente da cidade de Araguari, terra que tanto amava, brilhasse por toda Minas Gerais e também pelo Brasil.

Mostrando mais uma vez ser pé quente em tudo que realiza, no ano de 2008, mesmo sem verbas para a montagem de uma equipe, Darli conseguiu colocar a equipe amadora do Fluminense, que se encontrava na 2ª divisão do futebol local, na elite do futebol araguarino, sendo campeão em um jogo memorável, decidido nos pênaltis, mostrando assim que assumiu o clube para colocá-lo no lugar que sempre merecia ficar.

No ano seguinte, 2009, concretizou o sonho de tantos araguarinos de colocar o Fluminense de volta ao futebol profissional, disputando o difícil campeonato Mineiro da 2ª Divisão, que na época contava com Mamoré, Tombense, Unitri e Tricordiano, entre outras fortes equipes do Estado. Em uma ação rápida, conseguiu uma parceria com o Goiás Esporte Clube que ao perceber a idoneidade do comandante tricolor, cedeu vários jogadores para a equipe do Bosque. Darli também conseguiu formar parceria com empresários cariocas que cederam atletas para a equipe, formando assim, com a mescla de jogadores locais a equipe que disputou a segundona mineira.

O empresário arcou com várias despesas de seu próprio bolso, mostrando assim o seu comprometimento com o cargo importante que havia assumido, nunca deixando que seus atletas ficassem com seus vencimentos atrasados.

Darli também realizou diversas melhorias na sede campestre do Fluminense Futebol Clube – Parque da Raposa, sendo uma delas a aquisição do toboágua, com recursos próprios, além de compra de vários maquinários que ajudariam na manutenção do Estádio Sebastião César e também da sede campestre.

Enfim, Darli Amaral, empresário da comunicação e advogado de renome nacional, deixou também sua marca no esporte araguarino e demonstrou seu amor à terra que tanto amava.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: