Sábado, 16 de Janeiro de 2021
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Advogado de defesa alega que Marco Antônio Farias não estaria foragido

ter, 24 de novembro de 2020 21:18

Da Redação

O ex-secretário é alvo de investigações e estaria foragido há mais de 1 ano

O ex-secretário é alvo de investigações e
estaria foragido há mais de 1 ano

]Na última segunda-feira, 23, o ex-secretário municipal de Gabinete, durante a gestão atual do governo Marcos Coelho (PSB), Marco Antônio Farias, se entregou à polícia e, após depoimento, foi encaminhado ao presídio de Tupaciguara para cumprir quarentena no sistema prisional. Marco Antônio é graduado em direito, e no ano de 2018, em março, foi nomeado secretário de Gabinete, com o objetivo de melhorar a comunicação do Poder Executivo. Em abril de 2018, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Polícia Civil deflagraram a operação “Hoopoe”, com o objetivo de desbaratar esquema de desvios de recursos públicos na prefeitura de Araguari. A investigação teve início em Araguari com o promotor André Luis Alves de Melo, responsável Advogado de defesa alega que Marco Antônio Farias não estaria foragido pela curadoria do Patrimônio Público, o delegado Rodrigo Fiorino da Polícia Civil, que presidiu as investigações desde o início, e o apoio do Grupo Especial do Patrimônio Público, por meio do delegado Fernando Lima Barbosa, de Belo Horizonte. Também contou com o apoio do Grupo Especial de Combate a Organizações Criminosas de BH – GAECO. A operação das autoridades teve foco em vários agentes políticos que ocupavam cargos de chefia na Administração Pública Direita e Indireta em Araguari. À época, vários agentes políticos foram afastados de seus cargos, dentre eles Marco Antônio Farias que, mais tarde, se encontraria foragido. Ele é acusado de participar de esquema de desvio de verbas publicitárias. Em agosto de 2019, houve um mandado de prisão preventiva contra o secretário de Gabinete, que não foi localizado na época. No âmbito da ação, 14 mandados judiciais de busca e apreensão foram cumpridos nas residências dos denunciados e de outros servidores, além das sedes das secretarias envolvidas. Na última segunda-feira, 23, ele se entregou à polícia, porém não respondeu a nenhuma pergunta, se reservando ao direito de permanecer calado. Farias se encontrava com uma aparência totalmente diferente. A reportagem da Gazeta fez contato com a defesa de Marco Antônio, para fazer questionamentos a respeito do caso. “Tudo correu normalmente, com tranquilidade, ele se apresentou diretamente à juíza da 2ª Vara. Ele está preso e não há previsão de quando irá sair. No entanto, fizemos um pedido para que ele fique em cela especial, vez que possui nível de escolaridade superior”, disse o advogado de defesa Paulo Braganti. Ao ser questionado pela reportagem sobre o local em que Marco Antônio estava nos últimos 15 meses, Braganti disse que o cliente não estava foragido, e criticou o uso do termo. “Eu me reservo a não perguntar isso ao cliente. É uma questão íntima dele, é pessoal, e não influencia ou altera em nada no caso”, disse. “Tenho falado também que o uso da palavra ‘foragido’ é muito pejorativo. Meu cliente não foi condenado pela justiça, ele estava falando no processo. Houve apresentação de defesa preliminar, apresentou Habeas Corpus em Belo Horizonte. O estado que não o localizou. É obrigação do Poder Público que ele seja localizado. Ele não estava foragido”, finalizou Braganti.

2 Comentários

  1. Anônimo disse:

    Ele se ausentou por um determinado tempo, emigrou-se. Ele não estava homiziado. Ele não queria ser importunado por perguntas que o iriam aborrecer. Estava apenas descansando em algum lugar secreto para refrescar a mente.

  2. Anônimo disse:

    Aqui em Araguari está cheio de espertalhões.

Deixe seu comentário: