Segunda-feira, 27 de Maio de 2019
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Radar – Extraoficial

sáb, 11 de maio de 2019 05:59

Radar

EXTRAOFICIAL

.

.

O secretário de Saúde Guilherme Afonso pode estar de saída do governo Marcos Coelho. Pelo menos foi o que a coluna apurou por meio de terceiros. Dificuldades para conseguir as demandas da pasta, exames e até mesmo funcional, seriam as causas.

NA BANDEJA?

Vereadores da base teriam apresentado ao prefeito Marcos Coelho nomes de integrantes do seu governo que vem prejudicando a administração solicitando, inclusive, mudanças.

EMENDAS

Como estava previsto, ontem em Belo Horizonte foram entregues duas viaturas para a Polícia Militar. Por indicação do deputado federal Lafayette Andrada (PRB), Araguari e Estrela do Sul foram cidades contempladas.

.

.

 

CONFIANTE

O vereador Tiãozinho (PSL) acredita que ainda para as próximas eleições, seu partido, o PSL vai atrair um bom número de candidatos à Câmara Municipal sob efeito Bolsonaro.

“FAZENDO A GATA PARIR”

O vereador Levi Siqueira (MD) juntamente com a Comissão de Serviços e Obras realizou nesta quinta-feira, 9, audiência pública com os secretários de Planejamento, Administração, Obras, Esportes, Procuradoria geral, setor de engenharia e de licitação para que fossem prestados esclarecimentos sobre os motivos de diversas obras não terem sido ainda entregues à população: Ginásio Poliesportivo General Mario Brum Negreiros; CIE Centro de Iniciação Esportiva; Vila dos Esportes; Centro de Convivência – Amanhece; Asfaltamento – R$ 11.000.000,00 – empréstimo; recapeamento Gutierrez e nas ruas: das Orquídeas, Afonso Pena, Jaime Araújo; Parque Linear; Centro Administrativo e asfaltamento no bairro Vieno. A comissão de serviços públicos mensalmente receberá um relatório da secretaria de Planejamento informando o andamento.

EXPO 2019

Alvo de partidos para disputa da prefeitura em 2020, Tubertino Sena prefere não falar de política e apenas focar no Sindicato Rural aonde vem administrando desde ano passado inclusive, anunciando o retorno para este ano, da festa agropecuária que — por muitos anos, foi uma referência na região.

MAIS DOIS ANOS?

O Relator na CCJ – Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara Federal, deputado Valtenir Pereira (MDB-MT) emitiu parecer favorável, em relação ao entendimento da PEC 376, de 2009, de autoria do deputado federal Ernandes Amorim (PR), que estabelece a coincidência geral das eleições para todos os mandatos eletivos, aumenta de 8 para 10 anos, o mandato de Senador, estabelece o mandato de 5 anos para todos os cargos eletivos e põe fim ao instituto da reeleição para os cargos do poder Executivo. O objetivo da proposta de emenda à Constituição é estabelecer a coincidência geral dos pleitos para todos os mandatos eletivos, a partir de 2019. Mesmo em cima da hora, estende por mais dois anos os mandatos dos vereadores e prefeitos atuais.

8 Comentários

  1. Eu disse:

    Fica vendo…as pérolas do Bobão & Bobin…é daqui a pouvo…

  2. Maria do Bairro disse:

    Araguari e região agradece senhor Lafayette Andrada. É muito bom ver que tem deputado que lembra dessa cidade e trabalha a favor da gente.

  3. BRUKUTU ERNANE FERREIRA DA SILVA JÚNIOR disse:

    Confiante
    O psl pode ter muitos candidatos sim ,se o vereador Carlos Machado for convidado a sair ,ele se mostrou covarde ao retirar assinatura depois de ter assinado ” MICHOU NO BARRANCO ” apos uma queda repentina de energia, a retirada da assinatura do CLÁUDIO COELHO não foi novidade, mas de um vereador do PSL, muita covardia

    Expo 2019
    Se o tubertino almeja ser candidato e melhor avisar para ele que o filme BIRD BOX e ficção, e que centro AVANTE de banheira não e validado o gol

    Mais dois anos

    NATIMORTA A UNIFICAÇÃO DAS ELEIÇÕES PARA 2022

    Especula-se nos bastidores da política, a PEC 49/2019 que propõe a unificação das eleições já para 2020 por iniciativa do deputado Rogério Peninha Mendonça (MDB/SC).

    A proposta que deve ser aprovada até a primeira semana de outubro para que tenha validade em 2020, trata da prorrogação de mandato dos atuais prefeitos e vereadores por mais 2 anos e que em 2022 as eleições para todos os cargos fossem realizadas.

    Existem várias versões e especulações a cerca do assunto que ganha notoriedade quando a pauta é eleições. E nada mais coerente, pois os ânimos estão aflorados com milhares de candidatos já em pré-campanha.

    Na realidade esse artificio de ganhar algum espaço na mídia utilizando um assunto tão polêmico, não é inédito. Em 19 de dezembro de 2012 o senador Romero Jucá PMDB/RR propõe a mesma coisa para as eleições de 2022. Vereadores e prefeitos eleitos em 2016 terão mandatos de seis anos, em vez dos quatro anos atuais, caso a proposta (PEC 71/12) fosse aprovada.

    No mesmo caminho alguns anos depois, seguiu então senador Roberto Muniz do PP/BA apresentando a PEC 45/16 estabelecendo que as eleições para presidente e vice-presidente da República e para todos os demais cargos do Executivo e do Legislativo – em níveis estadual, municipal e federal – ocorressem na mesma data a partir de 2022. O senador diz que a mudança permitiria economizar recursos e racionalizar o planejamento e as ações do Estado brasileiro. Algo em torno de 800 milhões diz ele. Dinheiro de pinga para sustentar a democracia. Se o senador somar o valor do fundo partidário destinado a apenas 3 partidos dos 35 existentes e mais 40 na fila para serem homologado, já equivalem aos R$ 800 milhões. São R$ 234 milhões do MDB, R$ 212 milhões do PT e 185 milhões do PSDB. Argumento fraquinho do senador.

    Em vídeo divulgado, o deputado Peninha afirma que sua proposta estaria combinada com o fim da reeleição e a instituição de mandatos de cinco anos – em vez dos quatros já em vigor.

    A PEC que apresentou, porém, não contempla esses aspectos. Questionada, sua assessoria pontuou que “o parlamento deve aproveitar a oportunidade para acabar com a reeleição para cargos no Executivo e, quem sabe, estender mandatos para 5 anos. Isso já vem sendo discutido com outros parlamentares”. Ou seja, o importante é soltar o travesseiro, cada um que junte suas penas, desculpando o trocadilho.

    Mal formulada, extemporânea, especuladora e com o intuito de ganhar visibilidade, o deputado em 15/04, cinco dias após ter entregado a proposta no SEPRO – Secretaria de Protocolo da Casa Legislativa, recebeu a seguinte informação da Câmara dos Deputados como segue sequencia protocolar abaixo:

    Site da Câmara dos Deputados

    Acompanhe: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2197582

    O deputado Peninha não se ateve a quantidade de assinaturas necessárias para que a PEC ganhasse sequência. Não passou da conferência.

    Na prática uma eleição simultânea para tantos cargos é completamente inviável se analisarmos a função de propagar os candidatos aos eleitores e na mobilização da opinião pública por vários aspectos.

    No prisma eleitoral, embora deputados em mandato, com suas bases já montadas, dificilmente deixaria dissolvê-las imaginando que prefeitos e vereadores que hoje atuam num forte elo entre ele, deputado, e seus eleitores, iriam continuar o trabalho com a mesma intensidade, se teriam de se preocupar com a sua própria eleição. Ora sabemos que um uma administração pública municipal, o chefe do executivo trabalha inclusive para mais de um deputado, o que gera certo prejuízo, tendo o prefeito e os vereadores, lutando cada um por si?

    Na sequência a propaganda eleitoral no rádio e na televisão seria algo surreal, pois o eleitor cada vez menos teria aumentado seu desinteresse por identificar quem é quem no cenário onde teria de escolher Presidente, senadores, governador, deputado federal, deputado estadual, prefeito e vereador. Sete cargos e em outros anos 8 quando se vota em dois senadores.

    Na digitação da urna, teríamos supostamente o seguinte cenário

    99 Presidente
    99 Governador
    999 Senador
    9.999 Deputado Federal
    99.999 Deputado Estadual
    99 Prefeito
    99.999 Vereador
    Nada mais, nada menos que teclar 23 vezes números na urna eletrônica.

    Poderia me estender aqui em inúmeros parágrafos para relacionar os pontos contraditórios de um cenário eleitoral que só funcionaria se o eleitor fosse votar em uma lista fechada. Aí é bem diferente. Escolhe-se uma chapa que contém uma lista de representantes a serem eleitos com um único voto, como as eleições autárquicas em Portugal, por exemplo. Que não é e nem será, o caso no sistema eleitoral brasileiro vigente nas condições de majoritárias e proporcional.

    Outro detalhe, é o discurso sobre a diminuição dos custos eleitorais. Toda vez que este argumento lhe for colocado, nem discuta, deixe-o de lado e siga sua vida e suas metas, pois se o objetivo fosse diminuir os custos de uma campanha eleitoral, o fundo partidário de 1 bilhão e 600 milhões de reais para os partidos fazerem “campanha” deveria ser o primeiro a ser extinto.

    Qual a razão de que, para se tornar político, o povo deve subsidiar cada campanha e para se tornar médico, professor, advogado e todas as demais profissões, cada um que se vire por si só?

    Nunca existirá uma eleição mais barata que a outra e nunca eleitos facilitarão a assunção dos que tentam também uma vaga nos poderes legislativo e executivo ameaçando seu posto. Sempre a história se repetirá mudando os atores e incorporando insumos de comunicação, mobilização e ativação digital.

    Os recursos de uma eleição apenas são relocados em setores diferentes. Podíamos fazer bonés e camisetas em 2004, hoje contratamos micro influenciadores, agencias digitais e produzimos vídeos em alta escala. Antes tínhamos showmícios, hoje temos equipe de profissionais altamente qualificados em consultoria, administração, direito e contabilidade, pois se ganha nas urnas e facilmente se perde no “tapetão”.

    Utopia baratear eleição, utopia unificar a eleição, utopia mudar o sistema eleitoral, utopia não se profissionalizar para disputar um cargo público.

    Assim natimorta a proposta da PEC 49/2019 da 45/2016 e da 71/2012 e de todas as demais que poderão vir e ameaçarem o mandato dos que estão no poder.

    Gilberto MUSTO

    Consultor Político

    ASS BRUKUTU SINCERO #CORAGEMPARAFAZEROCERTO e dizer também

  4. Danilo disse:

    Bobão idiota , paspalho , abra um jornal pra você, e co trata o bobim , pra ser seu unico cliente.

  5. Eu disse:

    Eu avisei…q lá vinha bobagem…e veio !!!

  6. Anônimo disse:

    Eles é quem decide, eles é que dão a palavra final. Eles nem perguntam nada para o povo.
    Definitivamente o Brasil não tem jeito, é bananeira que nunca deu cacho. O assunto aqui é só o fulano roubou, participou de propina, foi preso, foi solto no dia seguinte e aquela tradicional frase: Meu cliente é inocente.
    Dessa vez eu fui tudo no zero zero.

  7. José Radi Neto disse:

    Com relação ao secretário de Saúde, gostaria que ele ficasse mais tempo no cargo, pois é uma pessoa dinâmica, um jovem com um futuro promissor.

  8. Janis Peters Grants disse:

    BANDIDAÇOS, HoopoeLETs, Elemento “Eu”, com…parS/A “Danilo”,

    Devidamente (des)QUALIFICADOS nos comentários das últimas edições da Coluna Radar e aqui, IMPUNES e IMUNES, tocando terror em Cidadãos comuns…

    Vocês estão TÃO HISTÉRICO$ & DESORIENTADO$ por perderem muita grana fácil em seus últimos GOLPES, ou passados para trás por seus próprios parS/As, que já até bagunçaram o “ÃO” com o “IN” aqui.

    O “ÃO”, segundo VOCÊS, é o CONTRABANDISTA de ELETRÔNICOS – SACOLEIRO, e o “IN”, o PINGAIADA – GARIMPEIRO.

    Organizem-se, inclusive, fora da ORGANIZAÇÃO criminoS/A a que pertencem.

    Ê GAECO !!! Peguem esses BANDIDOS aqui … ACAREIEM-NOS !!!

    Atenciosamente,
    Janis Peters Grants.

Deixe seu comentário: