Domingo, 19 de Agosto de 2018
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Violência na cidade resulta em dois assassinatos na mesma noite

qua, 16 de maio de 2018 05:38

Da Redação

Luiz Eduardo Cardoso França “Dudu”, de 17 anos, e Valdir Ferreira Júnior “Bil”, 36, entraram para as estatísticas de vítimas da criminalidade violenta em Araguari. Eles foram assassinados a tiros entre 21h30 e meia-noite desta segunda-feira, em pontos diferentes da cidade.

Casos ocorreram entre 21h30 e meia-noite de anteontem

Casos ocorreram entre 21h30 e meia-noite de anteontem

 

No mês de maio são três homicídios consumados – 17 casos no ano, deixando o município como um dos mais violentos da região e do Estado nesse tipo de crime. A última morte havia ocorrido na madrugada do último dia 6, quando Diego Monteiro Lima Silva, 28 anos, foi executado na praça da Matriz, Centro.

De acordo com informações levantadas pelos policiais, Luiz Eduardo estava com sua companheira em casa, na rua Maria das Dores Peixoto Faria, antiga M, residencial Bela Suíça 3. Alguém teria chamado o seu nome. Ao sair do imóvel, foi alvejado por disparos de arma de fogo, sem qualquer chance de reação. Os assassinos evadiram numa motocicleta e desapareceram.

Luiz Eduardo, 17 anos

Luiz Eduardo, 17 anos

A mulher dele, gestante de oito meses, ouviu o barulho e se deparou com o adolescente caído ao chão bastante ferido. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas constatou que a vítima não apresentava os sinais vitais.

Um dos tiros acertou a cabeça de Dudu, que teve exposição de massa encefálica. A perícia da Policia Civil encontrou ainda perfurações na região do tórax e abdômen.

Os militares, com autorização da esposa da vítima, localizaram em uma bolsa dentro do quarto do casal quatro munições calibre 40. O celular dele também foi apreendido para auxiliar nas investigações sobre o homicídio.

Luiz Eduardo participou recentemente da equipe de futebol do bairro Brasília no Campeonato Interbairros. Era atacante. Não foi informado se ele possuía algum envolvimento com o mundo do crime.

Cerca de três horas mais tarde, no final da noite, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Polícia Civil compareceram ao bairro Santiago, onde registraram inicialmente uma ocorrência de disparos de arma de fogo, na rua Abadia dos Dourados. O acionamento deu-se depois que populares escutaram uma pessoa gritando por socorro.

Valdir Júnior, que possuía antecedentes criminais e havia deixado a prisão no ano passado, foi alvejado por atiradores em via pública. Ele apresentava seis perfurações no púbis, ombros e costas, além de forte sangramento, sendo levado até a Unidade de Pronto-Atendimento 24 Horas, porém, devido à gravidade dos ferimentos, foi encaminhado, sob escolta policial, ao Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) mas não resistiu.

Os envolvidos nos assassinatos não tinham sido localizados até o fechamento desta edição. A Polícia Civil cuida das investigações.

VÍTIMAS EM 2018 (*)

  • Valdir Ferreira Júnior “Bil” (36 anos)
  • Luiz Eduardo Cardoso França “Dudu” (17 anos)
  • Diego Monteiro Lima Silva (28 anos)
  • Bruno César Costa (32 anos)
  • Vinícius Fernandes Sousa (19 anos)
  • Luciano Alves Ferreira Filho (24 anos)
  • Antônio Tibúrcio Júnior (26 anos)
  • Márcio Gleick dos Santos Filho (16 anos)
  • Paulo Victor Alves dos Santos (22 anos)
  • João Pedro Andrade Santos “Teló” (17 anos)
  • Danilo Fernando de Souza (24 anos)
  • Waldir José Pereira Júnior “Juninho” (42 anos)
  • Sandro Tranquilino da Silva (31 anos)
  • Lucas Wallace Araújo “Xuxa” (26 anos)
  • Alessandro Víctor Barbosa de Oliveira “Zói” (26 anos)
  • Eduardo Augusto da Silva (33 anos)
  • (*) Outra vítima foi agredida e faleceu dias depois

7 Comentários

  1. Janis Peters Grants disse:

    Prezado Redator,

    COMPLEXO DO ARAGUARI

    Confesso que eu estou assustado com A CRIMINALIDADE na Comarca.

    Saí de Brasília em 1986, e mudei-me para Araguari, após um assalto à mão armada, por três indivíduos, ao sair da Faculdade à noite. Eu não tinha o que eles queriam, e tive que NEGOCIAR pela minha vida. Se eu portasse ARMA DE FOGO ali, naquele dia e momento, pouco me auxiliaria. Fui pego de surpresa, a poucos metros da entrada do apartamento onde eu residia.

    (…)
    - Agora corre, grandão. Quero te meter uma bala pelas costas.
    (…)

    -x-

    Minha Mãe saiu de Araguari a alguns anos, por não se conformar em viver em uma casa ali na Av. Cornélia Rodrigues da Cunha, com muros de quase quatro metros de altura e cerca eletrificada. Sentia-se uma CRIMINOSA em seu próprio espaço, onde não tínhamos uma Araguari tão perigosa.

    (…)
    - Que CRIME que eu cometi ?!
    (…)

    -x-

    Temos uma Araguari MUITO PERIGOSA.

    Diariamente observamos nas mídias, e nos Grupos de Redes Sociais, de Araguari, o quanto a Comarca tornou-se PERIGOSA.

    COMPLEXO DO ARAGUARI.

    Se a Gestão Pública não focar TAMBÉM Segurança Pública, ADEUS Cidade linda, com muita QUALIDADE DE VIDA …

    … Araguari tinha.

    -x-

    Atenciosamente,
    Janis Peters Grants.

  2. Anônimo disse:

    Nós anos 70 quem usava droga em Araguari eram mais pessoas de famílias tradicionais.Usuário quando era preso apanhava na cadeia Nós anos 80, tomava-se uma surra dos traficantes as pessoas mais pobres que não tinham dinheiro para pagar. No finalzinho dos anos 90 foi assassinada uma mulher porque tinha 4,00 e estava caminhando com uma pessoa errada. Dos anos 2000 para cá a coisa começou a ficar feia e aí começou a acontecer o mesmo que acontecia nas capitais negociou com traficantes não pagou paga-se com a vida. Uma parcela destas mortes a droga está no meio. Atualmente a moda é a mesma quase que no país inteiro. Nas capitais tem gente morrendo porque não quis entregar o celular.

  3. Anônimo disse:

    Nos anos 80 chegava uma revista que era chamada revista do crime. Aí eu lia que nas comunidades pobres de São Paulo e Rio chegavam pessoas à noite arrombavam os barracos que só tinham a porta da frente, tiravam o chefe de família para fora e os matava na frente da família e eu não conseguia entender o motivo. Depois de muito tempo é que fui compreender ou a pessoa comprava e não pagava ou pegava para vender e não repassava o dinheiro aos chefões do tráfico.

  4. Anônimo disse:

    A questão é complicada se o irmão mais velho usa, o mais novo às vezes vai no mesmo caminho. Famílias desajustadas, meninas em plena idade de estudar engravidando, não tem objetivo de vida. Quem pensa em fazer um trabalho com crianças tem que começar aos cinco seis anos e com ajuda da família que deve ter muito amor e dedicação com os filhos, não no caso de dar tudo que quer, porque depois que envolve dificilmente a pessoa vai conseguir recuperar algum. E quando acontece da família inteira mexer com tráfico. Eu acho que só tem uma solução pena de morte para traficantes grandes e pequenos. De vez em quando agente conversa com pessoas que usavam e largaram mais é coisa rara. O governo do Estado também tinha que colocar postos policiais nos bairros para evitar roubos nas casas das pessoas. Certamente não o faz para não gastar com segurança.

  5. Josias disse:

    Enquanto os governantes não fizerem opção pela educação básica,oferecendo um ensino de qualidade com boa remuneração de professores,boa alimentação musica artes e esporte.Vai continuar enxugando gelo e mantando aqueles que poderiam ser a expectativa de jovens preparados para a sociedade e a força do trabalho estou perdendo a confiança na solução pela a politica,está tudo muito esquisito.

  6. Ricardo Alves disse:

    É muito triste ver e ouvir noticias da nossa Araguari somente nas manchetes criminais. Afinal onde está a segurança pública? Mesmo distante da cidade, faço questão de acompanhar diariamente os acontecimentos ocorridos, e não vejo o setor publico tomar atitude sobre isso. Até quando?
    Fica a pergunta para quem puder responder!

  7. Anonimo disse:

    E essa noite mais um para a lista.
    Não creio que governantes tem maior culpa nos usúarios de drogas. A culpa e unica e própria da pessoa, não e caso familiar, e o proprio ser humano que vai lá com a sua mãozinha e traz até o nariz ou boca ou braço a droga. O segundo maior culpado aquele compra e repassa, afinal vamos ganhar um $$$ facil com o usuário.
    Ah mais de 30 anos atrás me lembro que se pegasse um cigarro de brincadeira só de pensar na reação da cara da minha mãe eu já soltava, era brilho na cara que tinha e hoje? Hoje essas pessoas culpa o pai, mãe, presidente e até passarinho voando pela vida que leva e “usa de desculpa” vou ali cheirar um baseado. Me poupe esses usuários estão nessa vida pq procuraram pois enxada nessa vida nunca faltou no mercado.

Deixe seu comentário: