Terça-feira, 04 de Agosto de 2020
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Vereadores questionam terceirização de serviço que é de responsabilidade da prefeitura

qui, 4 de abril de 2019 05:28

Da Redação

Os vereadores estão se mobilizando contra a contratação, por parte da prefeitura, de uma empresa especializada na assessoria em gestão pública. O assunto foi levado ao plenário da Câmara Municipal na última terça-feira, 2, pelo vereador Dhiosney de Andrade (PTC). O termo de ratificação do processo, publicado no Correio Oficial do Município na edição do dia 27 de março, prevê a contratação do Instituto Áquila de Gestão LTDA, por inexigibilidade de licitação.

Vereadores pedem que a contratação seja cancelada e o dinheiro, revertido para saúde, educação e segurança

Vereadores pedem que a contratação seja cancelada e o dinheiro, revertido para saúde, educação e segurança

 

A empresa será responsável pela consultoria para a implantação e execução de metodologias, visando melhorias para o planejamento e otimização da gestão pública municipal. O Instituto deverá ainda fazer a revisão de processos, readequação da estrutura organizacional, redução de gastos e incremento de receitas por meio da adoção de melhores práticas de gestão previstas no mercado. O valor do contrato está estimado em R$ 1.202.400,00. Diante disso, o vereador pediu esclarecimentos sobre o contrato.

“Araguari vem passando por dificuldades financeiras, assim como tantos outros municípios mineiros, o que deveria ser motivo suficiente para que a gestão controlasse os gastos. Sabemos que é o momento para melhorar a nossa receita, mas isso deveria ser feito pelas pastas competentes como a própria secretaria de Administração, de Fazenda, a Procuradoria, pelos advogados que são pagos pelo município e os demais secretários municipais. Não há motivo algum para terceirizar esse trabalho,” afirmou Dhiosney de Andrade.

Os demais vereadores também se posicionaram contra a iniciativa. Eles pedem que a contratação seja cancelada e o valor seja revertido para o pagamento dos benefícios que estão em atraso, como por exemplo, o vale alimentação e o 13º salário dos servidores, além de ser feita a quitação de dívidas com fornecedores. “Não vejo sentido em gastar tanto dinheiro com uma empresa para ajudar a gerir a cidade. Isso demonstra falta de competência da gestão. Isso é um desrespeito com o dinheiro público. Queremos esclarecimentos sobre esse contrato e porque precisamos de uma empresa para fazer o serviço da administração municipal. Pedimos ainda que a secretária nos apresente todo o processo, bem como, as justificativas para a referida contratação. A Câmara vai dar uma resposta a população, pois, estamos fazendo nossa função de fiscalizar como deve ser feito,” ponderou o vereador.

Buscando mais informações sobre a licitação, os vereadores assinaram um ofício convocando a secretária municipal de Administração, Thereza Christina Griep a comparecer à Casa Legislativa nesta quinta-feira, 4, às 15h, para uma reunião junto à Comissão de Finanças.O assunto também foi amplamente discutido nas redes sociais, onde populares questionaram a utilização do dinheiro, quando deveria estar sendo investido em saúde, educação e segurança pública. Durante a sessão, o presidente da casa Legislativa Wesley Lucas de Mendonça (PPS) decidiu convocar os vereadores para uma sessão extraordinária a ser realizada nesta sexta-feira, 5, às 9h.

Na ocasião, será colocado para apreciação o projeto de lei 027/2019 que introduz alterações no art. 3º da Lei n. 4.174, de 19 de setembro de 2005, que “Obriga as agências bancárias a atender seus usuários em tempo razoável”. A votação pretende destravar a pauta da próxima sessão, a ser realizada no dia 9 de abril, onde serão apreciados outros projetos, dentre eles, a subvenção para a Liga de Futebol (LAF) e a liberação de recursos para o campeonato amador.

3 Comentários

  1. Anônimo disse:

    A cidade está precisando é de capina. Aonde agente vai é mato pra todo lado. Quando este serviço era feito pela prefeitura a cidade era limpinha. Contrata pessoas para capinar esta cidade.
    Empreiteira não capina nada. Vamos inspirar nas cidades dos EUA. Sabemos que a maioria das cidades brasileiras é assim mesmo cheias de mato. E Araguari é uma cidade tão bonita com ruas largas, calçadas largas. Já chega os terrenos dos muquiranas que tem até plantação nativa de mamona.

  2. Anônimo disse:

    Tem gente que paga para demolir casas até muito boas e depois não dá conta de construir nada ou não quer fazer nada e aí fica aqueles terrenos enormes sujos criando animais nocivos e servindo de esconderijo para bandidos. Muitas pessoas que moravam no centro, construíram casas no bairros e deixaram as casas abandonadas ao invés de alugar mais barato. Perto da minha tem uma que o dono pede mil reais, a casa não vale nem quatrocentos. Está fechada a anos. Mas ele prefere assim.

  3. Anônimo disse:

    Na minha opinião Vale alimentação deve ser pra pessoas que ganham apenas um salário minimo ou até mil e quinhentos reais. Eu trabalho no Estado agente nunca teve isso, nem os serviçais. Ele te oferece o emprego quer bem não quer.
    Esse negocio de saúde é complicado. Se as mordomias nesse pais acabassem teriam condições de oferecer uma saúde pública de primeira qualidade para o povo, nessa base que vai cada um querendo roubar mais que o outro. Vai continuar de mal a pior.

Deixe seu comentário: