Terça-feira, 11 de Agosto de 2020
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Situação do bosque John Kennedy é de completo abandono, afirma população

qua, 15 de janeiro de 2020 05:12

Da Redação

O bosque John Kennedy passará por uma revitalização completa. Este foi o anúncio divulgado em meados de março do ano passado, pela gestão municipal. Na época, a secretaria de Meio Ambiente também assinou um contrato com a empresa Vortex Engenharia de Projetos, vencedora do processo licitatório realizado pela prefeitura e que está encarregada de fazer a elaboração dos projetos arquitetônico, elétrico, hidráulico, estrutural e 3D, visando à revitalização tanto do interior quanto do exterior do bosque.

Situação motiva reclamações tanto dos visitantes quanto dos moradores próximos

Situação motiva reclamações tanto dos visitantes quanto dos moradores próximos

 

De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Hamilton Tadeu de Lima Júnior, inicialmente seriam realizados estudos para avaliar as principais demandas em relação às melhorias, posteriormente, o projeto seria analisado pelo departamento de Patrimônio Histórico e, posteriormente pelo Conselho Municipal de Meio Ambiente, uma vez que o bosque John Kennedy é tombado como patrimônio histórico do município.

Apesar do empenho relatado, meses de planejamento e discussões, o projeto ainda não saiu do papel e motiva reclamações tanto dos visitantes quanto dos moradores próximos. Para um frequentador do local que preferiu não ser identificado, o bosque se encontra com uma aparência de abandono. “O local é tradicional da cidade para atividades físicas, passeios, área de contato com a natureza e muitas pessoas estão deixando essas atividades devido à má conservação do espaço. Basta dar uma volta para encontrar lixo, passarelas e bancos quebrados e sem a devida manutenção. Uma boa reforma poderia motivar as pessoas a desfrutar desse ambiente.”

Marislene de Fátima, que reside nas proximidades, afirmou que realiza no entorno do bosque suas caminhadas matinais. Para ela, o local — que deveria ser para o lazer da população, acaba deixando os frequentadores insatisfeitos. “Há muito tempo o bosque está esquecido. As cercas estão caindo, o parquinho infantil onde antes havia areia, agora há cimento porque a areia foi levada pela chuva por ter sido colocada de forma irregular. As crianças podem se machucar naquele espaço, pois, não há segurança. Além disso, também é possível se deparar com jovens usando drogas a qualquer hora do dia, isso causa insegurança aos visitantes que não tem a tranquilidade de permanecer no local.”

A moradora lembrou ainda que o restaurante existente nas dependências do bosque é um empreendimento responsável pela movimentação do local, principalmente nos finais de semana. “Se reformado, as pessoas que o frequentam poderiam permanecer mais tempo no local e até mesmo atrair novos clientes. Lá é uma área bonita, poderiam ser realizados projetos com atividades culturais e práticas esportivas para atrair novamente o público que muitas vezes não conhece o bosque”.

Situado na região central de Araguari, o bosque John Kennedy representa um dos cartões postais do município. O espaço completou seus 119 anos no novembro de 2019. A primeira referência sobre o bosque data de 3 de novembro de 1899, quando a lei n° 73 autorizou o Executivo a conservá-lo. Uma pesquisa feita pela Universidade Federal de Uberlândia revelou que existem no local em média, 113 espécies de árvores nativas. Antes de ter o nome do famoso presidente americano, o bosque recebeu os nomes de Capão do Mato e, posteriormente, Siqueira Campos.

Segundo arquivo, o bosque é ocupado, em sua maior parte, por espécies que necessitam de água em quantidade média durante o ano e perdem folhas para enfrentar uma estação seca; existem em regiões de cerrado, também conhecidas popularmente por “capões de Mata”. O local é considerado uma das maiores reservas urbanas naturais da região. Sobre a revitalização, os munícipes ressaltaram ainda a necessidade de serem contratados profissionais responsáveis pela segurança do local, visando coibir práticas ilícitas como a depredação do espaço público, uso de drogas e outras irregularidades.

“A revitalização somente é necessária quando não se tem o devido cuidado do espaço. Então, que o poder público tenha a consciência de que é preciso fazer a manutenção daquela área, a fim de que seja preservada e os gastos futuros seriam apenas com melhorias, entretanto, o que temos visto é a troca de gestão que não tem essa preocupação além de ser omissos quanto ao patrimônio de nossa cidade, como estão fazendo com os prédios históricos e complexo ferroviário,” finalizou a moradora.

 

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: