Quarta-feira, 24 de Julho de 2019
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Refugiados da Venezuela conseguem emprego e moradia em Araguari

qui, 11 de julho de 2019 05:47

por Samara Arruda

Araguari recebeu na última semana, aproximadamente 30 imigrantes que saíram da Venezuela devido à crise que atinge o país. O grupo foi acolhido por um hotel na cidade que, juntamente com uma empresa, está se empenhando para oferecer apoio, visando o bem estar destas pessoas. Diante disso, governo municipal está realizando ações para identificar as principais demandas dos refugiados.

Grupo de 30 refugiados venezuelanos chega à Araguari

Grupo de 30 refugiados venezuelanos chega à Araguari

 

De acordo com a secretária de Trabalho e Ação Social, Eunice Mendes, na última terça-feira, 9, foi feito um estudo social para verificar a situação de cada um. “Estas pessoas não estão em situação de rua. Verificamos que o hotel está oferecendo quartos com boa estrutura; roupas de cama devido ao frio intenso dos últimos dias e condições para que eles possam permanecer na cidade. O frigorífico realizou o processo para empregá-los e também ficou responsável pelos documentos necessários.”

A empresa também se encarregou de oferecer a alimentação. Assim, as pessoas que tenham interesse em fazer doações podem entrar em contato com a secretaria de Trabalho e Ação Social, que está situada à rua Joaquim Aníbal, 413, Centro. “São 30 homens e quem quiser ajudar com roupas, calçados, cobertores será muito bem-vindo; as doações serão encaminhadas a eles. Nós vamos continuar acompanhando de perto essa relação de trabalho, para garantir que tudo esteja dentro da legalidade e que possamos oferecer apoio e conforto a estas pessoas.”

A secretária informou ainda que uma família vinda do Uruguai também se encontra na cidade. Ao ter ciência de que o casal e duas crianças estavam em risco de vulnerabilidade, a equipe conseguiu localizá-los. Para auxiliá-los, a equipe da secretaria está organizando os documentos necessários para que a família viaje para Olinda (PE). “Todo processo está sendo montado e estamos analisando se eles possuem os documentos necessários para esta viagem. Também tivemos o apoio da equipe do Conselho Tutelar, pois, há duas crianças que estão recebendo o acompanhamento dos conselheiros. Eles não tinham a intenção de sair de Araguari, mas decidiram que querem ir para Olinda,” afirmou.

A crise na Venezuela vem ganhando contornos de tragédia há alguns anos. A violência esvazia as ruas das grandes cidades e a situação provocou um êxodo em massa para países vizinhos. Em abril deste ano, o governo federal juntamente com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), lançou a campanha Interiorização mais Humana. A iniciativa tem ainda a parceria de agências das Nações Unidas que atuam em temas relacionados às migrações e aos refugiados.

O objetivo é incentivar as cidades brasileiras a acolherem imigrantes venezuelanos. O processo de transferência de imigrantes de Roraima para outras regiões do Brasil completou um ano no dia 5 de abril. Durante esse período, mais de 5,4 mil pessoas foram interiorizadas em um esforço conjunto entre o Ministério da Cidadania, as Forças Armadas e a Organização das Nações Unidas (ONU), com apoio de entidades da sociedade civil.

Campanha

Desde o mês de junho, em todo o estado de Minas Gerais, a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (Adra) está realizando uma campanha de arrecadação de móveis, eletrodomésticos e buscando emprego e recrutamento de pessoas para receber cerca de 100 famílias de refugiados, que chegarão ao Estado até agosto. A entidade não soube informar para quais cidades do Estado os refugiados devem ser enviados.

Desde o início da crise migratória na Venezuela, as Forças Armadas, que comandam a operação, mantêm um Posto de Recepção e Identificação na fronteira, aonde os venezuelanos que chegam passam por uma triagem, recebem assistência médica, são vacinados e podem solicitar refúgio ou residência temporária ao governo brasileiro.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: