Segunda-feira, 27 de Maio de 2019
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Odilon Neves: a voz do cotidiano de milhares de araguarinos se cala

qui, 16 de maio de 2019 05:59

por Samara Arruda

A notícia do falecimento do jornalista e radialista Odilon Neves aos 87 anos foi recebida na noite de terça-feira, 14, com muita tristeza pelos profissionais da comunicação, personalidades políticas e milhares de ouvintes, que o acompanhavam diariamente em seu programa matinal. Ao longo da tarde de ontem, 15, companheiros de área e de trabalho lamentaram sua morte nas redes sociais e fizeram homenagens.

É consenso no mundo jornalístico que Odilon Neves era um dos grandes comunicadores de sua época, completando mais de 70 anos de profissão e tendo sido um dos precursores do rádio na cidade. Nascido em 14 de janeiro de 1932, o comunicador era casado com Marcy Gonçalves de Paiva Neves, com quem teve os filhos Odilon Neves Junior, Jordana Neves e Márcio Antônio Neves. Além de presidir a Associação dos Profissionais de Comunicação e Imprensa de Araguari até o ano de 2011, Odilon Neves atuou em várias emissoras de rádio de São Paulo e Rio de Janeiro, tendo transmitido a Copa do Mundo de 1950 através da Rádio Continental/RJ.

Odilon Neves deixa uma imensa lacuna nas páginas da história de nossa cidade

Odilon Neves deixa uma imensa lacuna nas páginas da história de nossa cidade

 

Também trabalhou na Rádio Araguari, considerada à época como uma das maiores emissoras do Brasil. Ajudou ainda na instalação da Rádio Educadora de Uberlândia e contribuiu de forma significativa com a Rádio Cacique de Araguari, hoje conhecida como Onda Viva AM, onde apresentava seu programa de segunda à sexta-feira, obtendo diariamente grande audiência.

Sua credibilidade foi reconhecida em vários cantos do país, através de homenagens, como a Medalha da Inconfidência, considerada a maior honraria concedida no estado de Minas Gerais. Orgulhava-ser de ter sido o locutor oficial que anunciou a chegada do Batalhão Mauá, conforme seu relato: “foi uma verdadeira epopeia, nunca participei de uma festa tão bonita igual aquela. Fomos convidados para fazer a cobertura da chegada daquele comboio ferroviário em Brasília. Pelo caminho estava uma chuva danada, era chuva que não parava e ainda havia máquinas trabalhando na ferrovia. Quando chegamos próximo de Brasília, foi uma festa e tanto. Eu estava com uma estação transmissora montada dentro de uma locomotiva e falando: … estamos vivendo a primeira viagem de trem pela Capital do Brasil, construída pelo 2° Batalhão Ferroviário de Araguari… e assim foi.”

Relembrando sua trajetória, contava sobre sua participação na transmissão da primeira missa realizada em Brasília, quando trabalhou como o locutor que inaugurou a nova capital do país e falava sobre a chegada da primeira composição férrea. O jornalista também faz parte da história da Gazeta do Triângulo.  O fechamento do jornal estava decidido quando o libanês Afif Rade se prontificou a assumir as rédeas para não vê-lo fechar as portas. Foi quando se reuniu com o professor Abdala Mameri, o jornalista Odilon Neves, Sonilda Costa Ribeiro e outros colaboradores que, liderados por ele, conduziram e consolidaram a Gazeta do Triângulo durante todo esse tempo.

“Sem dúvida Odilon Neves se tornou o retrato da Gazeta. Ele foi editor do jornal durante muitos anos na época do Afif e tive a oportunidade de conhecê-lo quando adquiri o jornal. Trabalhando juntos, conheci o quanto ele era inteligente e tinha uma memória histórica bem vasta, pois, participou de muitas atividades políticas e que contribuíram para o desenvolvimento não só de Araguari, mas também do nosso país. É uma perda para nossa cidade, pois, ele viveu e respirou Araguari em todos os sentidos. Ele trabalhou ativamente e contribuiu para o crescimento da Gazeta e da nossa cidade. Diante disso, estendemos nossos sentimentos à família e agradecemos por ter sido tão importante para nós,” afirmou o empresário Darli Amaral, proprietário do grupo Araguari Comunicações.

Entre os colegas de profissão, Odilon Neves é lembrado por narrar importantes jogos de futebol nacionais e internacionais. Ele também foi o primeiro locutor brasileiro a transmitir uma partida de futebol em Brasília. O radialista araguarino que vivenciou e registrou boa parte da história esportiva de Araguari, foi peça fundamental para o resgate da história das pioneiras do futebol feminino no país.

“Durante 30 anos tive o prazer imenso de escutar e me deliciar com a voz e o talento do mito Odilon Neves e quis o destino que eu ouvisse sua última despedida nos microfones. Acordei e liguei o rádio por apenas 10 minutos, mas foi o suficiente. Odilon Neves era a cara da comunicação e a cada encontro, era um aprendizado muito mais do que profissional. Impossível não atentar à voz da experiência de um homem loucamente apaixonado por Araguari e pela profissão exercida,” ressaltou o jornalista e radialista Luiz Muilla.

Com uma carreira profissional sólida, que elevou o nome de Araguari, inclusive pelo Brasil, Odilon Neves também ocupou uma cadeira no Legislativo, atuando como vereador por 26 anos, quando trabalhou em prol de Araguari. Naquela época, o edil que se candidatasse ao cargo deveria visar somente o auxílio à comunidade, não tendo salário ou ganho com reuniões extraordinárias, conforme informação do próprio Odilon Neves.

Em 2016, o ícone da imprensa araguarina recebeu o Diploma de Honra ao Mérito concedido pela Casa legislativa.

Seus mandatos foram lembrados pelo atual presidente da Câmara Municipal, Wesley Lucas de Mendonça (PPS). “Araguari perde uma grande pessoa que, ao longo de sua história, contribuiu com a nossa cidade. Sem dúvida Odilon deixa um legado tanto no viés da comunicação quanto na vida pública. Sua trajetória é marcada por muita luta, honestidade, trabalho e preocupação com o bem púbico, que deve servir de exemplo para cada um de nós. Nossos sentimentos à família e a gratidão a tudo que ele realizou”.

Diante do ocorrido, o vereador Wesley Lucas decretou luto oficial de três dias. O corpo do jornalista foi velado e enterrado ontem, 15, no Cemitério Municipal Senhor Bom Jesus. Ao grande mestre e companheiro, o que podemos desejar é que descanse em paz e sentiremos saudade.

2 Comentários

  1. Sílvio disse:

    Merece respeito e ser lembrado com sincera reverência.

  2. Marcos Tito disse:

    A família de Odilon Neves . Meus sentimentos de profundo profundo pesar pela sua perda . Tive a honra de conhece- lo como uma grande figura humana e um profissional que honrava e significava a Rádio Difusão em Araguari ! Meus votos que Deus conforte a família nesta hora difícil! Marcos Tito

Deixe seu comentário: