Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2020
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

“Governo federal fechou os olhos para os estados brasileiros,” afirma deputado Dinis Pinheiro

ter, 18 de março de 2014 01:43
Em sua passagem por Araguari, deputado Dinis Pinheiro chamou a atenção para a dívida dos estados com o governo federal, que se multiplicou devido aos altos juros. Foto: Gazeta do Triângulo

Em sua passagem por Araguari, deputado Dinis Pinheiro chamou a atenção para a dívida dos estados com o governo federal, que se multiplicou devido aos altos juros.
Foto: Gazeta do Triângulo

TALITA GONÇLAVES – O deputado estadual Dinis Pinheiro (PP), presidente da Assembleia Legislativa do estado, esteve em Araguari na última sexta-feira, 14, em razão da solenidade de instalação da 2ª Vara Criminal. Na ocasião, ele chamou a atenção para o crescimento da dívida dos estados brasileiros com a União devido aos juros altos, considerando isso como uma “agiotagem praticada pelo governo federal.”

A dívida de Minas Gerais ultrapassou os R$ 70 bilhões neste mês e se aproxima do orçamento total do estado para 2014, R$ 75 bilhões. Segundo o deputado, o estado devia R$ 12 bilhões em 1998 e de lá para cá, foram pagos 30 bilhões de reais. No entanto, o montante se multiplicou devido aos juros.

A União cobra dos estados uma taxa de juros da ordem de 13% a 18%, por empréstimos contraídos em 1998. Por meio do BNDES, os empréstimos para a empresas possuem juros de 3%. “Isso vem confirmar o que tenho dito. Os juros são exorbitantes; é um contra censo, um crime de lesa pátria,” ressaltou.

Em entrevista à Gazeta do Triângulo, Dinis Pinheiro não escondeu o desgosto. “Por um lado a gente observa o governo federal através do BNDES externando livre financiamento para as empresas privadas. Por outro, justamente os estados que tem a responsabilidade de implementar políticas para melhorar a vida das famílias brasileiras são penalizados porque não recebem o mesmo tratamento,” ressaltou.

REDUÇÃO DOS JUROS

O Senado deve votar até o final do mês o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 99/2013, que muda o indexador da dívida dos estados e dos municípios com a União. O projeto troca o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mais juros anuais de 4%. Também fixa como limite para a cobrança de encargos a taxa Selic.

Com isso, os estados poderiam reduzir os juros e diminuir a dívida mês a mês. Se a nova regra de cálculo valesse para o ano passado, o governo mineiro teria economizado mais de R$ 2 bilhões do montante.

A proposta foi adiada em fevereiro pela base do governo, maioria no Senado Federal. Um dos principais motivos apontados pelo Planalto contra a proposta seria o temor de uma classificação baixa na avaliação das agências de risco internacionais, algo que afastaria investimentos estrangeiros.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: