Segunda-feira, 27 de Maio de 2019
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Falta de medicamentos e atraso em repasse preocupa saúde pública

qua, 15 de maio de 2019 05:30

por Laura Alvarenga

O Conselho Nacional de Secretários da Saúde (CONASS) declarou a falta de medicamentos nas unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) de todo o país. Em Minas Gerais, a situação não é diferente, a falta de remédios coloca a vida de 25 mil mineiros em risco.

Falta de medicamentos e atraso em repasse preocupa saúde pública

Falta de medicamentos e atraso em repasse preocupa saúde pública

 

De acordo com a CONASS são 134 itens obrigatórios distribuídos pelo Ministério da Saúde, destes, 25 se encontram zerados nos estoques de todos os Estados e a previsão é para que outros 18 se esgotem em torno dos próximos 30 dias.

Em Minas Gerais, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) informou que a relação estadual de medicamentos contém 93 pertencentes à lista 1ª – medicamentos de aquisição centralizada pelo Ministério da Saúde – destes medicamentos, 16 estão desabastecidos. Essa falta pode prejudicar boa parte da população do Estado, pois são mais de 16.062 mineiros que dependem destas substâncias e, mais 9.308 pessoas precisam de outros sete medicamentos que foram abastecidos parcialmente.

Segundo informações do Estado, a SES-MG aguarda a entrega de alguns itens pelo Ministério da Saúde e, “nos casos em que ocorre o atraso na entrega, a SES-MG oficia o referido órgão e solicita informações a respeito da regularização do abastecimento”.

As informações apontam a falta de medicamentos para o tratamento de doenças como câncer de mama, leucemia em crianças, artrite reumatoide, doenças renais crônicas, esquizofrenia, infecção crônica pelo vírus da Hepatite B e C, doenças de Parkinson e Alzheimer e diversas outras inflamações.

Em Araguari, a situação não é muito diferente. Conforme Guilherme Afonso, a secretaria está ciente sobre a situação geral da saúde, mas, não recebeu nenhuma informação oficial referente ao município. “Até o momento o que acontece é uma demora com duração de dois a seis meses no repasse financeiro do Estado para o município”, explicou o secretário.

Guilherme disse que o custeio dos medicamentos oferecidos pelo SUS para os cidadãos araguarinos advém do repasse de 40% do Estado, 40% da União e 20% do município. Em busca de obter uma relação dos medicamentos que se encontram em falta no município, a reportagem da Gazeta do Triângulo entrou em contato com a coordenação da Farmácia Municipal, mas não obteve resposta.

Medicamentos sem estoque no Estado

Abatacepte – 213 pacientes necessitam da medicação

Alfaepoetina – 76 pacientes necessitam da medicação

Cinacalcete cloridrato – 67 pacientes necessitam da medicação

Clozapina – 4.096 pacientes necessitam da medicação

Declatasvir – 21 pacientes necessitam da medicação

Entecavir – 692 pacientes necessitam da medicação

Etanercepte – 3.589 pacientes necessitam da medicação

Imunoglobulina humana – 346 pacientes necessitam da medicação

Ombitasvir / Veruprevir / Rotinavir + Desabuvir – 281 pacientes necessitam da medicação

Pramipexol dicloridrato (0,25mg) – 1.816 pacientes necessitam da medicação

Pramipexol dicloridrato (1mg) – 2.064 pacientes necessitam da medicação

Quetiapina hemifumarato – 646 pacientes necessitam da medicação

Rivastigmina 18mg – 131 pacientes necessitam da medicação

Rivastigmina – 70 pacientes necessitam da medicação

Sevelamer cloridrato – 1.471 pacientes necessitam da medicação

Tacrolimo – 483 pacientes necessitam da medicação

- Lista de medicamentos faltosos nas unidades do Estado, aponta um total de 16.062 pacientes prejudicados

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: