Quarta-feira, 14 de Novembro de 2018
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Estado não define data para quitar dívida com os municípios mineiros

ter, 6 de novembro de 2018 05:02

por Tatiana Oliveira

Débito com Araguari referente a repasse de impostos é de aproximadamente R$ 31 milhões

O Estado segue no vermelho com os municípios mineiros. Em setembro, o montante da dívida de Minas Gerais com Araguari em relação a repasses de impostos como o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica) e Assistência Social era superior aos R$ 26 milhões. Hoje o montante subiu e chega a aproximadamente R$ 31 milhões.

Prioridade do município é com manutenção da Saúde e pagamento da folha dos servidores, afirma secretária de Administração

Prioridade do município é com manutenção da Saúde e pagamento da folha dos servidores, afirma secretária de Administração

 

A Gazeta do Triângulo entrou em contato com a secretária de Administração, Thereza Christina Griep, para falar a respeito do assunto. “Estamos fazendo diversas contenções e medidas para acréscimo de receita. Hoje a prioridade do município é com manutenção da Saúde e pagamento da folha dos servidores”, relata.

Segundo ela, não há perspectivas de melhora até o momento. “O Estado ainda não deu nenhuma previsão e acredito que, com a mudança de governo, aí sim vai degringolar de vez. Imaginamos que o problema seja resolvido somente no próximo ano.”

A crise financeira em virtude da falta e também do atraso no repasse dos recursos financeiros pelo Estado de Minas Gerais aos municípios se arrasta desde o ano de 2017. A ausência desses recursos afeta diretamente o pagamento das despesas da educação, transporte escolar, saúde, assistência social, servidores públicos e fornecedores em geral.

A reportagem teve acesso a uma tabela sobre o atraso dos repasses informada pelo prefeito Marcos Coelho de Carvalho (MDB) em uma rede social. De acordo com os dados, o atraso do ICMS até 30 de outubro deste ano chega a R$ 5.741.527,03 e os juros e correção monetária a serem recebidos em relação à demora do pagamento em relação a este imposto chegam a R$ 2.849.341,40.

O Fundeb também está retido, em aproximadamente R$ 587.092,77 desde 2017. O Piso Mineiro de Assistência Social Fixo também sofre com a crise financeira com um haver de R$ 407.484,00. Em relação ao transporte escolar, a dívida do Estado com o município é de R$ 499.630,00.

O setor mais grave e com maior quantidade de atraso nos repasses é o da Saúde. A dívida chegou em 31 de outubro a R$ 14.860.143,30.

A reclamação da falta de repasses do Governo do Estado é geral em inúmeras prefeituras e resultou, em agosto, em uma paralização de prefeitos de 22 cidades mineiras, além do ingresso de ações judiciais.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: