Terça-feira, 24 de Abril de 2018
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Casos suspeitos de Dengue motivam ação do “Fumacê”

qui, 12 de abril de 2018 05:59

por Mel Soares

Dados sobre o índice de infestação do mosquito devem ser divulgado na próxima semana

Nessa quarta-feira, 11, a equipe do departamento de Zoonoses da secretaria de Saúde esteve em centenas de residências do centro próximo à rua Paissandu para utilizar o bloqueio de transmissão da Dengue, chamado popularmente como fumacê.

Fumacê passou pelo centro da cidade nessa quarta-feira

Fumacê passou pelo centro da cidade nessa quarta-feira

 

O coordenador do departamento, Vicente de Paula Marques de Oliveira, afirma que, ao receber a notificação de casos suspeitos em determinada região da cidade, a equipe responsável se desloca para a vizinhança e também em quarteirões próximos a residência onde possivelmente a pessoa foi picada pelo mosquito Aedes aegypti.

“Antes mesmo de haver a confirmação de que o paciente esteja com Dengue é feito o bloqueio nas residências. O trabalho acontece em nove quarteirões ao redor da casa onde o morador tem suspeita da doença. Esta ação foi realizada por haver dois casos suspeitos na rua Paissandu”, explicou.

Sobre o número de registros, Vicente Oliveira disse que no mês de janeiro foram dois casos confirmados, em fevereiro não houve e em março, dois ainda estão em aberto.

A notificação não se refere a todos os casos ocorridos na cidade, pois geralmente as pessoas que fazem o exame na rede particular não entram na estatística divulgada em dados oficiais emitidos pela secretaria estadual de Saúde. “Para constar no boletim do Estado é necessário que a pessoa também passe pelo exame que é feito na rede pública e encaminhado ao laboratório de referência situado em Belo Horizonte que confirma a análise, e isto não acontece”, argumentou.

O servidor falou a respeito dos criadouros mais comuns encontrados nos imóveis. “Geralmente são itens fáceis de serem removidos, dentre eles, pratos de plantas e vasilhames espalhados pelos quintais”, exemplificou.

Nesta semana, o departamento finaliza mais um trabalho de campo sobre o índice larvário encontrado nos bairros. O LIRAa (Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti) é o método simplificado que possibilita o diagnóstico do município em relação a infestação e os tipos de criadouros.

O índice referente ao mês de janeiro foi de 5,4% sendo que o aceitável pela OMS – Organização Mundial de Saúde é de 1%.  A expectativa é que  desta vez o índice seja abaixo do que o detectado anteriormente. “Além de mutirões realizados pela cidade os supervisores viabilizaram a entrada em diversos locais como terrenos baldios e casas fechadas. Sendo assim foi possível promover um trabalho mais efetivo”, ressaltou.

Próximas ações

Na segunda quinzena deste mês, o departamento de Zoonoses dará início a instalação da metodologia ovitrampas, uma armadilha utilizada para coletar ovos do mosquito transmissor da Dengue. Serão viabilizados 210 armadilhas com o intuito de melhorar o trabalho de monitoramento e com isso oferecer estratégias mais eficientes na qualidade do trabalho.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: