Domingo, 05 de Abril de 2020
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Casos de dengue e febre chikungunya são registrados em Araguari, segundo boletim epidemiológico

qua, 19 de fevereiro de 2020 05:16

Da Redação

O novo Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) na última segunda-feira, 17, mostra que os casos prováveis de dengue em Araguari tiveram uma redução nas quatro últimas semanas epidemiológicas. De acordo com o levantamento, são 9 casos (confirmados e suspeitos). Mesmo com a baixa incidência, a orientação da secretaria de Saúde é a continuidade nos cuidados básicos voltados principalmente, à limpeza de quintais no intuito de diminuir a proliferação do mosquito Aedes aegypti neste período chuvoso.

Além dos casos de dengue, no município também há registros de três casos relacionados à febre chikungunya

Além dos casos de dengue, no município também há registros de três casos relacionados à febre chikungunya

 

No município, também há registros de três casos relacionados à febre chikungunya. O boletim epidemiológico mostra ainda que as regiões do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas contabilizam em 2020, 11 casos confirmados da doença com sinal de alarme que, no período após a febre, apresenta um ou mais sinais, como dor abdominal intensa e contínua, ou dor na palpação do abdômen; vômitos persistentes; acumulação de líquidos (ascites, derrame pleural, pericárdico); sangramento de mucosas; letargia ou irritabilidade; hipotensão postural (lipotímia); hepatomegalia maior do que 2 cm; e aumento progressivo do hematócrito.

Há ainda três registros de dengue grave e dois óbitos em investigação. O número de casos prováveis de dengue também aumentou nas principais cidades destas três regiões. Atualmente, Minas Gerais tem 26 municípios em incidência muito alta da doença, 18 em alta, 61 em média e 372 em baixa. Em 376 cidades não houve registro de casos prováveis de dengue. Segundo o balanço dos casos registrados em todo o Estado, o levantamento mostra que a soma do número de suspeitos e dos confirmados, saltou dos 9.895 para 13.178, totalizando um aumento percentual de aproximadamente 33%.

Além disso, 10 óbitos permanecem em investigação. Conforme apurou a reportagem, em Araguari não há mortes relacionadas à enfermidade, diferente do ano passado quando três óbitos por dengue foram registrados, conforme os dados da SES-MG. O primeiro caso aconteceu em abril do ano passado, sendo confirmado apenas em junho. O segundo caso foi de um mato-grossense de 35 anos que estava na cidade a lazer, falecido em junho de 2019. Mesmo a vítima não sendo natural de Araguari, a morte foi contabilizada no município uma vez que os familiares da vítima residem aqui.

Em 2019, a epidemia que aconteceu nesta mesma época tirou a vida de 179 pessoas – 77 óbitos permanecem em investigação. Em relação à Febre Chikungunya, até o momento, 287 casos notificados e 98 casos sendo 16 em gestantes relacionados à Zika. Além do aumento no número de casos com sinais de alerta, Uberlândia é a cidade com maior número de casos prováveis de dengue entre as três regiões citadas. São 429 no total, sendo 82 novos casos. Apesar disso, a incidência ainda é considerada baixa.

A principal forma de prevenir o aparecimento do mosquito é evitar a água parada. É importante verificar todos os reservatórios, eliminar os vasos de plantas, descartar corretamente embalagens e utensílios plásticos, além de manter calhas limpas. Uma pequena tampa de garrafa pode ser o local ideal para a proliferação. A Coordenação de doenças transmitidas pelo Aedes da SES/MG também recomenda que seja feita uma ação integrada nos municípios em situação de emergência e calamidade devido às chuvas registradas nas últimas semanas com a adoção de medidas preventivas para a ocorrência e controle das arboviroses (dengue, zika e chikungunya), além da intensificação das ações para controle vetorial em decorrência dos alagamentos e inundações.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: