Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Autoescolas não apresentaram redução no valor da CNH depois de retirada do simulador

ter, 22 de outubro de 2019 05:30

por Laura Alvarenga

Desde o dia 16 de setembro não são mais obrigatórias as aulas de simulador para a emissão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A alteração ocorreu através da aprovação de uma medida publicada pelo Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, em 13 de junho deste ano. Chegou-se a essa conclusão, depois de uma reunião do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) o qual também estipulou que o número de aulas práticas para a habilitação da categoria B, pode ser reduzido de 25 para 20 horas.

 

 Em algumas autoescolas existe a possibilidade de inclusão da carteira para motocicletas

Em algumas autoescolas existe a possibilidade de inclusão da carteira para motocicletas

 

Na época, o ministro Tarcísio Freitas, justificou que não foi comprovada a eficácia das aulas de simulador para a formação dos novos condutores. Este ainda afirmou que, existem vários países ao redor do mundo onde o uso do aparelho durante as aulas não é obrigatório e que, ainda assim apontam excelentes níveis de segurança no trânsito.

As autoescolas de todo o país tiveram o prazo de 90 dias para cumprirem a determinação e implementarem a nova regra na grade curricular. A partir de agora, é exigido que o aluno cumpra apenas 20 horas de aulas práticas, tornando optativo as aulas de simulador antes de ir para as ruas. Neste caso, o aprendiz deve completar no mínimo 15 horas de aulas práticas e cinco horas no equipamento.

Na ocasião, o ministro ressaltou que esta decisão era discutida há algum tempo, e agora, após determinação, o uso dos simuladores durante as aulas de habilitação, passa a ser facultativo. “Se ele julgar que é importante para a sua formação, que não está seguro de sair para aula prática, poderá fazer. Se não quiser, não terá que fazer a aula de simulador”.

A medida previa a redução nos valores apresentados pelas autoescolas para a obtenção da CNH. A previsão era que houvesse uma baixa em torno de 15% do valor total cobrado pelos centros de formação de condutores, direcionados a todos os tipos de carteiras de habilitação.

Contudo, uma pesquisa feita pela reportagem da Gazeta do Triângulo, averiguou que a realidade é outra. Ao entrar em contato com algumas autoescolas da cidade, foi possível perceber que, na verdade, o preço aumentou. O valor que antes girava em torno de R$ 900,00 a R$ 1.100,00 dependendo da forma de pagamento (à vista ou parcelado) subiu para R$ 1.240,00. Em outra o valor chegou a R$ 1.400,00.

Algumas autoescolas dão a opção de o aluno adquirir um pacote para as habilitações de carro e moto. Sendo assim, o condutor tem a chance de pagar apenas a taxa de inclusão. Em uma autoescola da cidade, é cobrado também, o valor de R$ 300,00 para o aluguel da motopista.

Vale ressaltar que os valores citados não incluem as taxas do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) no valor médio de R$ 600,00, sendo R$ 269,00 apenas de taxas estaduais, de acordo com a atendente de uma das autoescolas consultadas. No geral, essas taxas são: obtenção da Permissão para Dirigir (PPD); Exame Psicológico (Psicotécnico) e de Aptidão Física e Mental (Médico); Prova de Legislação e Exame de Direção Veicular.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: